segunda-feira, junho 30, 2008

PostHeaderIcon Preste atenção

Recebi e não resisti. Publiquei.

Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.
Fernando Pessoa
Bjkª da Elza
domingo, junho 29, 2008

PostHeaderIcon Fim de semana

Elas vieram me buscar e almoçamos num lugarzinho simpático e agradável. Seguimos para o Planetário do Ibirapuera. As três falando ... falando ... falando ... de coisas da adolescência à coisas do presente, passando por sonhos, expectativas e por aí afora.
Após a sessão, Miriam, foi encontrar o marido.
Ficamos, Cris e eu a conversar. Passamos pela livraria da Vila para dar um abraço no Ricardo Ramos que lançava mais um livro. Conheci Aninha Pontes.
Viemos para casa conversando, sempre. Despedimo-nos depois das 22 horas e aquele gosto de quero mais apareceu no mesmo instante.

Dormi até tarde e me enrolei toda. Precisava passear o Baltazar, fazer as compras de feira e cozinhar para ele.
Corri com o Baltazar, voei para a feira depois que ele me ligou dizendo que já estava em Guarulhos.
Coloquei o lombo no forno, com papel aluminio.
Lombo: deixei marinando de ontem para hoje no vinagrete com vinho branco. O açougueiro já o abrira para mim e recheei com cenoura, abacaxi e bacom.
Macarrão: comprei um ravioloni de mussarela de búfalo, nozes e rúcula semi pronto. Preparei molho de limão com cebola ralada, manteiga, raspas e suco de um limão siciliano; creme de leite e uma pitada de sal e outra de pimenta do reino.
Enquanto o lombo assava, peguei o resto do abacaxi e piquei miudinho e três maçãs num refratário. Coloquei um punhado de uvas passas brancas e outro de nozes picadas grosseiramente. Por cima, farofa de manteiga, açúcar e farinha de trigo polvilhada de canela.
Assei. Esqueci de comprar sorvete de creme e resolvi não bater chantili para não ter mais trabalho.
Ele chegou e voei para buscá-lo na portaria.
Baltazar enlouqueceu e escalou o ídolo para ganhar carinhos.
Cansado e com os olhos brilhando ele chegou, desfez a mala, abriu a caixa do freeshop.
Mandei-o para banho enquanto terminava o almoço.
Contou-me diversas histórias e tomou uma cerveja.
Almoçamos com vinho branco que eu gelara.
Agora ele está deitado, com o Baltrazar e a Thelma.
Muito embora quieto, descansando, sinto que a casa não está vazia.
Terça feira embarca para Belo Horizonte e assim vamos vivendo.
Quando isso acabará? Ninguém sabe! Nesse País ninguém vive de aposentadoria, certo?

Bjkª. Elza
quinta-feira, junho 26, 2008

PostHeaderIcon Guadalajara


- Beeeeeeeeeemmmmmmm, tou cansado, tou com saudade!!!!!!!! Quero ir para casa!

Só faltou me pedir para ir até lá para buscá-lo. Faz uma semana que ele viajou e só voltará no domingo. Embora no meio de pessoas amigas que o acolhem e o paparicam ele está fora de casa e dos hábitos que tornam o cotidiano tranquilo; longe dos bichos, das manias e de mim, é claro.

Costumo dizer que ele é como barata: adora ficar em casa!

Nos finais de semana não tenho coragem de pedir para irmos visitar meus parentes aqui nas redondezas porque ele já vive em estradas ... Eu o deixo dormir na frente da TV com algum programa sobre aviões ou bichos passando. Abaixo o som e o deixo relaxado, descansando. Ele acorda com aquela carinha de quem me deixou só, outra vez e eu, lhe ofereço café passado na hora.

Também estou com saudade. A casa fica tão silenciosa e arrumada sem ele. A cama fria.

Domingo tá pertinho, não está?

Bjkª. Elza




domingo, junho 22, 2008

PostHeaderIcon Emoções

- Por favor, minha filha, traga-nos uma garrafa de água sem gas, gelada e três copos. Depois fazemos o pedido.

- Quero só um chá.
- Vou da capuccino com canela e uma torta.
- Também quero um capuccino, com croissant e manteiga. Sem canela, disse eu.
- Tem algum doce sem gluten? Perguntei demais, não é? Então eu quero um cheese cake light.

Depois da emoção do encontro, dos abraços apertados e das referências de tantos anos avivadas, nós nos sentamos numa doceira, fizemos os pedidos e ocupamos a mesa por mais de quatro horas. Tomamos várias garrafinhas de água.

Nós somos amigas desde sempre. Quase nos conhecemos na maternidade, como dizem os engraçadinhos de plantão. Fomos colegas de classe no ensino fundamental e perdemos contato, mas conservamos o querer bem, as boas lembranças.

Orkut me aproximou de uma que, por sua vez, encontrou a terceira não sei como e nos reunimos no sábado, ontem, que foi meu dia de sem teto, sem cachorro, sem gata e sem marido.

Tive que fazer uma segunda aplicação de veneno para matar brocas e, mais uma vez, desocupei o apartamento. Dormi, junto com a gripe, no apartamento do meu irmão mais novo. A gata passeou de ônibus e dormiu com a Maria, minha assistente técnica. Baltazar restou hospedado no hotel do Raul. Meu marido pipa está no México.

Assim, sem lenço e sem documento, sem freios, sem amarras, fiquei no papo com minhas amigas de adolescência e, encerramos a noite no apartamento da única que tem marido em casa. Comemos pizza, tomamos vinho, ouvimos boa música e rimos.

O tempo não é existe, não é mesmo? Para nós se passaram alguns bons anos sem que nos víssemos, mas, em comparação ao tempo do universo, talvez tenham sido alguns segundos. As minhas amigas são as mesmas meninas que conheci. Tem os mesmos gestos, os mesmos sorrisos, as mesmas reações, as mesmas posturas corporais.

A diferença que senti é que nós perdemos a pressa e somos mais cultas. Temos conteúdo intelectual mais sólido, mais tranquilo e falamos com serenidade a respeito de temas que já foram difíceis.

Para mim o tempo não passou. Apesar dos casamentos, filhos e vidas vividas, a essência delas me é familiar e é com ela que eu lido. Todas temos histórias alegres e tristes para contar, mas, no fundo, somos as mesmas meninas que tiveram experiências semelhantes no mesmo período. Nós nos reconhecmos como fraternidade, como familia, o que é mais empolgante.

Claro que sou a chorona da turma... Sou pisciana, certo? No meio da festa, enquanto o único marido presente tocava bossa nova ao piano, meu marido pipa me liga do México dizendo que me queria por lá. Chorei. As meninas me abraçaram. Solucei. Fiquei de nariz vermelho por longo tempo.

Chorei de alegria, como há muito não fazia.

Cheguei de mansinho no apartamento de meu irmão e demorei a pegar no sono. Emoções remexidas ...

Para completar esse final de semana que teria tudo para ser triste, acabei almoçando com meu irmão na casa da sogra dele e foi muito bom!!!

Thelma Louise está aqui do meu lado e Baltazar pulando no meu braço pedindo para brincar.

Meu marido já me ligou 3 vezes do México, hoje.

Bjkª. Elza
sexta-feira, junho 20, 2008

PostHeaderIcon Gripe

Saí ontem toda bela e faceira, arrumada e bonita. Fui até meu cliente para reunião complicada e assunto difícil. Na ida senti minha garganta raspar. Espirrei algumas vezes e já concluí: a gripe me pegou. Os sintomas são clássicos.

Fui para lá e fiquei o dia todo. Resolvemos as pendências. Percebi que eu não estava nada bem quando me irritei com os obstáculos pequenos que precisei transpor para voltar para casa.

Passei no escritório de uma amiga para café, cheguei em casa e me entoquei. Sentia-me tão péssima que não saí com o cachorro e me deitei cedo. A cama estava cheia de espinhos e minha garganta queimava. Minha lingua queimava. O corpo doia e a respiração tampada por muco ...

O mal estar só piorava e já era tarde quando me ocorreu pedir ajuda, mas, fiquei com dó de chamar minha vizinha médica. Eu me virei com reike e dormi com os bichos me empurrando.

Meu marido ligou hoje cedo para saber se melhorei, assim como uma porção de pessoas amadas e sinto dizer: Não melhorei coisa alguma. Passei o dia de cama, curtindo dor no corpo e tomando trimedal.

Amanhã vou para o apartamento do meu irmão, com o Baltazar. A Thelma Louise vai para a casa da Maria. Haverá aplicação de veneno para brocas e não podemos ficar aqui. Tou até vendo a bagunça que vamos fazer por lá. Domingo nós voltaremos e espero que as coisas entrem nos eixos.

Bjkª. Elza
quarta-feira, junho 18, 2008

PostHeaderIcon Colombia e México

Ficarei sem marido até o dia 30 de junho. Viaja, agora, de madrugada.
Arrumei apelido para ele: MARIDO PIPA.
É, isso mesmo! P I P A, como papagaio kkkkkkk
Ele fica por aí, voando e eu em terra, segurando o barbante para ele não se perder. De vez em quando sou obrigada a dar uns trancos para colocá-lo no rumo certo.
Passei cerol na linha porque não sou besta!

Bjkª. Elza
sábado, junho 14, 2008

PostHeaderIcon Dinheiro

É motivo de muita discórdia. Razão de brigas e mortes. Vil metal que move o mundo e sem o qual ninguém sobrevive, na nossa sociedade.

Muito já se disse a respeito desse tema e não sou eu a querer inovar ou filosofar a respeito.

Todavia, noutro dia, recebi uma ligação de pessoa que tinha como amiga e que recebia em minha casa a qualquer hora:

- Minha nora foi visitar o seu apartamento e ficou encantada. Fará proposta de hoje para amanhã. Quer comprá-lo a vista.
- Nossa! Que boa notícia!
- É por isso que estou telefonando. Eu quero receber a comissão sobre essa venda.
- Ora, ora, ora ,,, e eu nem sabia que você é corretora e inscrita no CRECI! Nem sabia que você tinha visitado o apartamento com ela e conversado com meu irmão.
- Eu não fui, lá.
- Ué, e mesmo assim você quer comissão?
- Na verdade eu estou trabalhando na corretora da Eliana e uso o Creci de lá.
- E o corretor que acompanhou sua nora foi dessa corretora?
- Não e aí é que está o problema. Não sei porque ela teve que procurar um corretor para visitar o apartamento, se eu indiquei o imóvel.
- Para visitar o imóvel é preciso estar acompanhado de corretor, você não sabia?
- Então nós vamos fazer o seguinte: você diz que não vende o apartamento. Efetua a venda e paga a comissão para mim.
- A que troco vc pretende essa comissão, posso saber?????
- Eu indiquei o imóvel para ela. Não fosse eu ela jamais saberia desse apartamento.
- Será? Ele está no site da imobiliária, sabia?

Como eu sou uma idiota rematada, deveria ter dito que sim, efetuava a venda, pagava a comissão para o corretor e fim de conversa, pois, a amiga eu já perdera...

- Lamento, mas não posso fazer isso. O corretor está trabalhando esse apartamento faz muito tempo e se dou o tombo nele, ele entra com ação contra nós, herdeiros e vamos pagar comissão para ele, de qualquer forma... Você deve entrar em contato com ele e se ele quiser, lhe dá alguma porcentagem.

Vou contar o restante só por contar:

Ela ligou para a nora e disse que o imóvel estava com a documentação irregular e que não valia a pena adquiri-lo!

Ligou-me hoje: meu filho está procurando um comprador para o seu partamento.

Perguntei na hora e na lata: ele vai querer comissão, também????????????

Bjkª. Elza
quinta-feira, junho 12, 2008

PostHeaderIcon História de minha infância

Dias atras conversando com algumas amigas durante o passeio noturno com os cachortros, ouvi muito a respeito da criança que vive dentro de cada um. Aquilo me deixou ensimesmada e tratei de buscar minha menina.

Na verdade, ainda estou em busca da menina, mas tem uma historinha que ela ouviu quando garota que merece ser divulgada:

No Estado de São Paulo tem uma cidadezinha chamada Ubirajara que, não deve ter nem 20.000 habitantes nos dias de hoje. Imagine o tamanho dela nos idos de 1.960 ... Plantada no meio de terra roxa, fértil e que suja até a alma do desavisado, tinha as ruas de chão batido. Ao tempo das chuvas o barro era tanto que as ruas viravam atoleiros. Só trator para desatolar os poucos e raros carros que por lá transitavam. Os ônibus intermunicipais não ousavam chegar na plataforma única instalada entre a Igreja Matriz e a Delegacia.

Pois bem, as eleições para prefeito foram marcadas e os comicios tiveram seu momento de glória. Os candidatos se revezavam nos discursos e as bandas, chamadas "furiosas" embalavam o falatório.

Um caboclo, candidato, muito metido a falar dificil saiu-se com essa "pérola":

Minha gente, a cidade está crescendo e os atolero precisa ser corrigido. Assim, se eu for eleito, digo que, asfarpeá (asfaltar) as rua eu não asfarpeio, mas paralelipeidá eu prometo!!!!!!!

Não foi eleito.

Bjkª. Elza
domingo, junho 08, 2008

PostHeaderIcon Recebi de Ana de Lavras:


Listar:


-as tuas 3 alegrias,
-os teus 3 medos,
-os teus 3 objetivos,
-as tuas 3 obsessões e
-3 fatos surpreendentes sobre vc.

Com as seguintes regras:
-Passe para cinco pessoas no final do seu post.
-Deixe comentário para as cinco pessoas escolhidas em seus respectivos blogs.

Para atender nossa amiga eu fiquei pensando em coisas profundas e cheias de significados, mas descobri que tem coisas prosaicas e simples como uma fatia de pão com manteiga ou uma borboleta voando que preenchem os requisitos do meme.

Assim, aqui estão minhas 3 alegrias:
Chegar em casa; ganhar um processo; ter dinheiro na conta corrente

Meus medos:
Ficar inválida; não ter meios de me sustentar; borboletas

Meus objetivos:
Escrever um livro; voltar ao mercado de trabalho; ver meus queridos reunidos na mesma sala e em paz

Minhas obsessões:
Meu Pai; pão fresco com manteiga; meus bichos

Fatos surpreendentes:
Não sei perdoar; não oro; ronco alto e forte


As demais regras que a Aninha passou, vou pular. Deixo aqui esse Meme que me fez pensar a analisar muitas coisas para responder, para quem quiser se aventurar.

Bjkª. Elza

quarta-feira, junho 04, 2008

PostHeaderIcon Voltando à abstinência de tabaco

Dora, minha amiga, aqui estão algumas dicas, como me pediu.

A revista Veja publicou artigo sobre cigarro e como deixar de fumar, 6 anos atras. Esse artigo me ajudou a entender o caminho que as substâncias tóxicas presentes em cada cilindro percorriam no meu organismo.

Fiquei sabendo que exite uma quantidade muito grande de coisas ruins para meu corpo e mente no cigarro e o ato de tragar a fumaça me matava um pouquinho por dia.

Assustei-me com a possibilidade de ter enfizema pulmonar depois de descobrir como é a doença e como ela se manifesta.

Analisei o histórico de minha familia e percebi que os pulmões eram o orgão de resistência de nossos problemas e que, muitos de meus antepassados morreram em decorrência de complicações por causa do cigarro. Os fumantes e os em abstinência tiveram embolia, enfisema, câncer ... no pulmão, é claro!

Naquela reportagem o que mais me chamou a atenção foi uma pequena explicação dada por alguém que nem imagino quem fosse, que eu deveria dar uma ordem para meu cérebro para ele parar de pedir cigarros e tragadas.

Tomei medicação específica para bloquear os pedidos de nicotina, sob prescrição médica e tive acompanhamento naquele período.

Algumas dicas que recebi de amigos:

- limpeza nos dentes depois de 1 mês sem fumar;
- construir "cigarros" de cenoura ou de erva doce para não sentir a mão vazia;
- tomar muita água;
- escovar os dentes mais do que o habitual e manter o hálito perfumado;
- mastigar cravo da Índia.

O mais importante e benéfico conselho que recebi foi o de mudar meus hábitos.

Assim: está com vontade de fumar? Dê uma volta no quarteirão e tome um copo de água.
Encontre outra cadeira predileta.
Coloque o computador noutra posição.
Mude o horário das refeições.
Escolha outros pratos prediletos e descubra sabores.
Tire os cinzeiros da casa.
Deixe de tomar refrigerante, café, chocolate, bolachas, petiscos, bebida alcoólica e chá porque eles atraem a vontade de fumar.
Lave, aos poucos, todos os cobertores, cortinas, sofás e tapetes para retirar o cheiro de cigarro.

Tudo aquilo que atrai a vontade de acender um cigarrinho deve ser evitado, no início, Eu deixei de comer pão com manteiga,mas não parei com o café!

Perfume a casa, use incensos e sprays para tirar o cheiro de cigarro.

Converse com você mesmo e prepare-se para os "amigos" que ficarão provocando e testanto seu moral e lhe dizendo que isso de deixar de fumar é bobagem e que a vida é curta demais para tanto sacrifício... Afaste-se deles enquanto não estiver confiante.

Agora que você já está cansado de conselhos, a grande verdade: não adianta dizer que você precisa parar de fumar.

Você tem que ter consciência que você quer parar de fumar por opção e que o cigarro já não lhe traz prazer.

Boa sorte. Bjkª. Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti