terça-feira, setembro 30, 2008

PostHeaderIcon Minha cunhada

me dizia, hoje, com a maior sem cerimônia que era de fácil convívio e que não tinha gênio forte como eu a e filha dela que é mais parecida comigo do que qualquer um nessa vida.

Gargalhei e respondi:

- Não tem gênio forte? Quem foi que saiu de casa uma noite, aos berros, dizendo que iria se matar? Quem foi que pegou uma pilha de 12 pratos de sobremesa e jogou no chão? kakakakakak eu vi meu irmão sentar-se sobre você para segurar uma crise ...

Ela riu, pois, aposto que já tinha esquecido dessas cenas. Fácil falar da vida alheia, né?

- Pode parar, nêga, todos nós somos geniosos e todos nós somos temperamentais. Um átimo de segundo é o suficiente para tirar qualquer um do sério. Meu marido costuma dizer que sou do bem e de fácil convívio porque sou cordata e apaziguadora... Muito dificil eu ficar de mau humor ... Dá para acreditar nisso?

Em tempo: sempre fui a nervosinha e a encrenqueira da familia...

Ela mudou de assunto e teceu loas ao amor. Usou essa palavrinha desgastada e sem sentido como antídoto para todos os problemas.

Discordei de novo. Expliquei o que penso sobre essa palavrinha idiota e fui mais longe.

Disse para ela que tenho serias dificuldades para perdoar os que me magoam. Disse que fui julgada e condenada pelos familiares sem chance de defesa e que ninguém, mas ninguém me conhece e sabe quem sou. Disse que minha Mãe morreu sem saber a filha que criou embora tenha reconhecido perante outras pessoas que jamais me dera uma chance de me mostrar. Pela primeira vez eu disse o quanto tudo me magoou e como essa mágoa se reflete sobre mim até hoje:

Amor incondicional nem para o meu cachorro! A única gentil criatura que me tem sem barreiras é a Thelma Louise!

Ninguém chorou, ninguém levantou a voz e as emoções que rolaram foram muito bem recebidas e tratadas. Meu irmão ligou para meu marido que está em Goiânia e desejou feliz aniversário.

E por ai foram nossos temas. Falamos em irmandade, em peitos grandes e caídos; em mães e filhas; problemas e soluções... Jantarzinho em familia, gostoso e tranquilo, com muitas gargalhadas. Muita conversa leve e também coisas mais difíceis. Só nós três, de novo.

Meu irmão ficou do nosso lado mas dormiu sem parar. A oxigenação dele é muito ruim e ele apaga. Ela me disse que não viverá sem ele nem um dia. Falou diversas vezes na morte dele. Estará me preparando para isso? Eu não sei como reagirei à ausência dele. Quando eles se forem não terei mais familia para curtir...

Bjkª. Elza
domingo, setembro 28, 2008

PostHeaderIcon Minha avó dizia


que o melhor da festa é esperar por ela.


Essa máxima da Dona Lazinha se aplica para diversas situações.


Pois então ... esperei a festa e ela foi um horror.


Estou pensando em dar um fim nisso.


Já chorei, já recebi apoios vários e até fui paquerada, hoje, mas nada me consolou.


Sem bjkª. Elza
terça-feira, setembro 23, 2008

PostHeaderIcon Idas e vindas

Minha ida para BH foi uma peripécia.

A Maria me fez o favor de chegar atrasada, o que nunca acontece. Chegou tão tarde que me tirou a estabilidade. Imagine que eu deveria sair de casa às 9:45 para a rodoviária e a Maria chegou às 9:30h !!!!!!

Enquanto eu a esperava tratei de desmarcar minha passagem, solicitar vaga para o Baltazar no hotel, falar com minha amiga cachorreira para visitar a Thelma à noite e tourear o marido que ligava de 10 em 10 minutos!!!!!!!!!!!!!!!
No meio dessa faina, eu precisei cozinhar para o meu ilustre cachorro que não come ração!
Quando ela chegou, com os dois filhos, eu já desmarcara o taxi que os levaria até a casa dela, também!

Precisei desarmar todo o circo porque a bonitinha atrasou!

O pior é que eu não consegui passagem para o ônibus das 14 horas e me recusei a sair de São Paulo muito mais tarde para chegar em BH depois da meia noite.

Conclusão: telefonei para a Varig e lá fui eu de asa dura!

O fim de semana foi muito bom. Sem os bichos para cuidar e alimentar nós saímos no sábado pela manhã e só voltamos ao apartamento à noite, despreocupados e felizes. Comprei o presente do neto recém nascido de minha amiga Marli, assisti a um filme horroroso e comemos muito bem.

No domingo a coisa não foi tão fácil. Saimos de BH para Macacos, ali pertinho. Lugar lindo e maravilhoso, cheio de pousadas e restaurantes. Pitoresco e me pareceu Campos de Jordão logo no início, com ruas estreitas e muita vegetação.

Paramos num restaurante chamado Italiana. O marido queria comer a massa dominical e escolhemos fetuccini a bolognesa. Pedimos uma cerveja e bolinhos de bacalhau.

Tomamos a cerveja e comemos os bolinhos e continuamos a esperar pela comida. Um trio sentou-se na mesa ao lado, pediu a comida, comeu e foi embora e nós, continuamos a esperar.

Após uma hora e quarenta minutos de nossa chegada pedimos a conta e fomos embora, com fome! Quando estávamos pagando a conta a cozinha anunciou o nosso prato, mas não dava para comer. Nós estavamos digerindo a fome. Os sucos estomacais liberados pelo aperitivo e pela expectativa de comida enjoavam meu estômago ... Um fiasco!

Claro que reclamamos e claro que os paulistas soltaram o verbo, mas duvido que a coisa por lá mude. Faltou profissionalismo aos atendentes do restaurante, desde ao garçon horroroso, frio e com técnica primitiva até à gerente, muito simpatica e agradável mas que nada entende do dinamismo do serviço. O dono ... ah ... o dono ... apareceu para dar o troco da cerveja e ficou mais perdido do que cachorro que cai do caminhão de mudança.

Claro que fomos para outro lugar e comemos massa. Valeu!

O avião saiu no horário, sem um minuto de atraso, mas orbitei 20 minutos sobre São Paulo para pousar. Enfrentei fila de mais de 150m para tomar um taxi.

Meu coração estava apertado já que esperava meus companheiros de solidão na segunda feira.
Maria se fez surpresa e os trouxe para casa no domingo e quando cheguei as luzes estavam acesas e eles me esperando. Cada um a seu modo fez festa e demonstrou amor.
Nós três fizemos muita farra antes de dormir!

Desde ontem estou correndo com meu serviço, mas muito tranquila e feliz.

Bjkª. Elza
quinta-feira, setembro 18, 2008

PostHeaderIcon TIM

Na última 6ª feira, estava eu cheia de coisas para fazer e com o horário apertado, quando atendo a uma ligação dessas menininhas treinadas para me tirar do sério.

- Preciso falar com a Senhora Elza Maria!
- Quem quer falar com ela?
- A Senhora é a sehora Elza Maria?
- Quem quer saber?
- Olhe aqui, eu preciso falar com a senhora Elza Maria...
- Minha filha, veja lá como fala e baixe o tom de voz. Vc liga e para incomodar e ainda quer dar ordens?
- Sou Tainá da empresa xpto terceirizada da TIM.
- Muito bem, o que vc deseja?
- A senhora é a senhora Elza Maria?
- Sim, minha filha, vamos em frente.
- A senhora precisa pagar a conta do seu telefone que já atinge R$ 2.100,00 e se não ...
- Pode parar, minha filha!!!!!!!!!!!!!! Eu não estou devendo nada para a TIM! Minhas contas caem direto no banco e estão todas pagas.
- A senhora está enganada.
- Filhora, eu não estou enganada coisa alguma e nada devo à TIM ou a qualquer outro prestador de serviços.
- Seu débito é de R$ 2.100,00 e a senhora pode pagar com desconto de 70%...
- Você não entendeu??? Não quero desconto algum porque nada devo!
- É melhor a senhora pagar ...
- Não pago nada!

Ela desligou o telefone no meu nariz.

Um minuto após:
- Senhora Elza Maria a senhora precisa entender
- Já entendi que não tem acerto com vc.

Desliguei no nariz dela.

Ela me ligou mais 3 vezes até que fui mais taxativa do que nunca:

- Menina, eu não quero falar com vc! Vc só sabe ler o manual e não entendeu o que eu disse. Mande outra pessoa ligar para mim. Com vc, não tem assunto!Você é sem educação e não entende o que eu digo.

Liguei para a TIM em seguida.

Meu horário apertado explodiu, pois, fiquei mais de hora na linha para descobrir que existe um telefone em meu nome, em Santa Catarina!

Eu não solicitei essa linha, não usei essa linha e não posso imaginar como esse telefone está constando como meu! Faz mais de 6 anos que sofri meu último assalto e meus documentos foram levados e nunca tive problemas por causa disso.

Depois de 3 atendentes, a TIM abriu sindicância para apurar o ocorrido me pediu para escrever carta de próprio punho com negativa de ter solicitado a tal linha e levasse à loja do Shopping Ibirapuera. Forneceu nº de protocolo e jurou por todos os santos que meu nome não irá para nenhum órgão de proteção ao crédito.

Meu dia desmoronou por causa do nervosismo que passei e porque, depois de mais de uma hora ao telefone, meu almoço atrasou e todo o mais saiu dos eixos. Por sorte eu estava com o carrinho do marido e não tive problemas para circular após às 17h...

Somente hoje eu pude ir ao Shopping para entregar a tal carta manuscrita com os documentos solicitados e, é claro, aproveitei para dar uma olhadinha nas coisas.

Foi irresistível o que vi para ele... um pressente ... kakakak ... uma camiseta escrita "pé na estrada" ... kkakakaka ... tem até o desenho da sola de um par de sapatos muito bem estampado ... kakakakaka ... Comprei igual para mim kakakaka em cor diferente. A minha é branca e a dele azul marinho. Foi lá na BR111. Linnnnnnndas!

Como embarco para Belo Horizonte, amanhã, levarei a camiseta de presente para ele.

Aposto que terei novidades para contar no retorno.

Bjkª. Elza
domingo, setembro 14, 2008

PostHeaderIcon Noivas

Casamento é coisa séria e noiva ... um caso à parte.

Já vi noivas maravilhosas, muito bem vestidas em seus corpos quase adolescentes. Arranjos de cabeça dos mais variados formatos, desde uma touca pequena e amarrada no queixo à moda das camponesas, até veus longos e bordados.

Noiva de saia branca e corpete azul marinho, maravilhosa, foi uma sobrinha do maridão.

Noiva de bordô com arranjo branco na cabeça, triste e mau executada a idéia deixou a todos constrangidos.

Noiva grávida exibindo barrigão já vi diversas, desde a minha juventude até hoje. Hoje é moda ...

Vestidos tomara que caia aos montes, a ponto de uma delas tomar pito do padre. Ele exigiu que ela cobrisse os ombros com uma toalha cedida pela sacristia kakakaka na Igreja Nossa Senhora do Brasil, aqui em São Paulo. Todas as madrinhas receberam toalhas, também kakakakak O padre disse que elas estavam prontas para um baile e não para a cerimônia religiosa que teria início.

Já vi noivas muito simples e belas; noivas empetecadas mais parecendo grandes merengues com seus vestidões cheios de babados e bordados; algumas de azul claro; muitas de bege e apenas uma sem qualquer arranjo na cabeça.

Os cabelos são assunto especial. Ou recebem arranjo simples e delicado para enfeitar a noiva, ou, os cabeleireiros se esmeram em construir penteados incríveis, com cachos e mais cachos caindo pelo rosto, coques e mais coques imensos para segurar véus e tiaras, numa profusão de mau gosto de dar dó.

Tudo isso foi dito para avivar a memória de cada um a respeito das belas noivas que já viu. É mais fácil lembrar-se das feias e ridículas, mas todos nós já vimos casamentos de bom gosto e bem montados.

Na mesma semana se casaram a atriz Juliana Paes e a cantora Sandy e não gostei de nenhuma delas.

Juliana Paes faz o tipo mulherão, gostosona e exuberante. Vestiu-se de acordo com o tipo que escolheu. Grande decote, alguns babados e muita cintura marcada. Ouvi dizer que seus patrocinadores providenciaram tudo e que nem a roupa foi do gosto dela.

Sandy faz o gênero menininha ingênua e tola. Do meu poso de vista, mostrou ser assim, ingênua e tola. Para o meu gosto ela estava feia. Poderia ter usado algo mais leve e suave. Até o arranjo de cabeça estava em desacordo com a imagem que ela vende. O vestido foi de gosto duvidoso e ainda não entendi aquelas ombreiras para disfarçar o tomara que caia...

No passado, alguém falou para as mulheres que elas seriam felizes casadas e tendo seus filhos e cuidando deles e do marido. As tolinhas acreditaram e passaram essa idéia estúpida para suas filhas que, por sua vez a transmitiram para as suas e... até hoje, as mulheres querem se transformar em princesas na hora do casamento e criam espetáculos nem sempre de bom gosto.

Como eu não acredito que a felicidade me seja dada por outra pessoa, não aceito essa postura das mulheres de forma geral. Mulheres inteligentes, donas de si, profissionais de respeito e que sabem lidar com a vida e com o dinheiro que ganham, na hora de casar caem nessa balela ...

Meu comentário não olha idade, classe social ou escolaridade das noivas que criam espetáculos para entrar na igreja. Muitas delas nem sabem que a cerimônia religiosa se chama matrimônio e que tem fundo espiritual. Muitas delas só fizeram a primeira comunhão e nunca mais foram à igreja e nem sabem o porquê dos votos que professam.

Por ocasião do casamento do principe Charles com Lady Di muitas reportagem e matérias foram publicadas sobre o tema matrimônio e, naquela ocasião, eu li que cada pedacinho da roupa da noiva tem seu significado, como a cauda, o véu, o arranjo de mão, as mangas do vestido e assim por diante.

Cultura inútil?

Simbologia fora de moda?

De fato eu não sei, mas, bom senso e menos romantismo poderiam ajudar a construir melhores e mais sólidas relações afetivas e matrimoniais.

Bjkª. Elza
sexta-feira, setembro 12, 2008

PostHeaderIcon Aconteceu em São Paulo

Uma amiga estava parada no semáforo, que em São Paulo é sinal ou farol, com a janela do carro aberta. Imprudência.

Falava ao celular e ouvia música. Procurava receber multa.

Noite escura. Lua sem brilho.

Avenida iluminada e com bastante tráfego. Ninguém olha para os lados para não ver e não socorrer ao próximo.

- Passe o celular, disse o moleque que aparentava entre 13 e 16 anos, embora franzinho. Portava gorro na cabeça, sandálias de dedo e camiseta solta que escondia sua mão direita. Fingia ter arma?

Ela não se deu ao trabalho de responder. Jogou o celular no banco do carona e olhou no rosto dele enquanto fechava a janela manualmente.

Ele tentou segurar a janela com o braço livre e ela continuou a fechá-la, olhando para ele, muda.

Outro jovem apareceu e disse:

- Dá logo um tiro na cara dela e vamos embora. Dá um tiro nela! Arrebenta a cara dela! Mata essa aí!

Ela, impassível, continuou a fechar o vidro do carro e o preveniu:

- Tome cuidado porque vou esmagar seu braço.

Os dois não desistiram e ela, num relance, percebeu que poderia avançar o carro alguns metros e assim procedeu. Engatou e acelerou com o menino preso em sua janela. Sorte!

Fugiram correndo e xingando.

- Minha amiga, socorro! Estou tremendo inteirinha! Reagi a assalto, me disse Mariela, de 1,50m de altura e 42 kg de peso... Nunca poderia imaginar que eu seria tão fria! Agora estou até com dor de cabeça!

O que dizer?
Já passou e ela está viva.
Adianta fazer sermão depois do fato?
Dá para saber qual é a reação de cada um ao assaltante?

Bjkª da Elza que está toda arrumadinha e cheirosinha porque o maridão está para chegar.
quarta-feira, setembro 10, 2008

PostHeaderIcon Meu longo dia




Saí de casa às 8:50h e fui para Caieiras, grande São Paulo, para reunião no cliente, almoço e audiência. Cheguei lá às 9:50h sem correrias, sem stress e sem multas. Participei da reunião, almocei e saímos, Raquel e eu, para audiência das 13 horas. Levamos um operário como testemunha. Ficamos à disposição do Juiz até às 15:30 horas.

Audiência dificil, tema complicado e o Juiz conseguiu convencer o empregado a aceitar um acordo vantajoso para a empresa. Parcelei em 5 vezes ...

Saimos do prédio da Justiça e voltamos para a fábrica munidas de 2 refrigerantes e um pacote de biscoitos de polvilho. Comemoramos o acordo e saí de lá por volta das 17:30h já sabendo que teria um longo e complicado caminho de volta.

Tive que esperar muitos minutos para atravessar a linha do trem e depois, outros tantos para pagar o combustível no caixa do posto. A estrada foi tranquila. Até aquela cobrinha que me leva ao Rodoanel estava com movimento aceitável e velocidade boa. A Bandeirantes nem se fala, pois, a velocidade máxima permitida é 120km/h e ninguém anda mais devagar.

Cheguei na Marginal do Tietê e a velocidade cai para 90 km/h, mas andou.

Quando cheguei na Marginal do Pinheiros ... comecei a comer o restante dos biscoitos de polvilho para passar o tempo. Fiquei uma hora para sair dela e entrar na Nova Faria Lima, parada!

Cheguei em casa às 19:30h depois de percorrer 120km. Cheguei cansada e estufada de biscoitos de polvilho. Lá pelas 22 é que fui comer uma laranja e metade da manga que estava na geladeira.

Marido ligou da Argentina para me dizer que estava chegando em Mar del Plata e que amanhã, possivelmente volte a Buenos Aires.

Acabei de tomar aquele banho gostoso e refrescante. Cabelos limpos e penteados, roupa cheirosa, mas ... sabe o que eu tou querendo, agora, nesse minuto? Muito cafuné e um abraço apertado. Tou cansada e sozinha. Baltazar deitado no meu pé e a Thelma Louise sentada sobre a mesa do computador me olhando não dão conta do meu abandono.


Quer saber? Vou me entupir de chocolate e parar de ter dó de mim.


Bjkª. Elza
domingo, setembro 07, 2008

PostHeaderIcon Fim de semana

Depois de correr a semana inteira contra o tempo e contra todos, no sábado eu me dei o direito de ter mau humor. Estava fisicamente cansada e com poucas horas de sono, daí a irritação doentia.

Enfrentei audiências, clientes, viagem, advogados mau intencionados, gesseiro e marido durante esses dias. Confesso, fiquei azeda e chata e disse para quem quisesse ouvir que se afastasse de mim para não levar respostas estúpidas.

Passei o dia inteiro assim!

Enfrento obra dentro e fora do apartamento em virtude da limpeza e pintura do prédio. Tinta voando para prédio vizinho e por cima do carrinho do marido que estava no estacionamento da outra rua!

Vizinho que conhece meu marido vem reclamar da tinta e o Sindico, como sempre, em viagem de final de semana ... Zelador não tem poder de decisão e meu marido nervoso pensando no custo da limpeza do prédio vizinho ...

Para piorar, minha amiga cachorreira veio me contar que a Mãe dela está na UTI semi-intensiva do Hospital São Luiz, minha velha conhecida, com problemas pulmonares, meu fantasma!!!!!!!!!!!!

Como fazer o almoço de domingo com essa carga? Estragar duas peças de filé mignon não faz meu gênero...

Ah, duas peças porque eram 9 pessoas para serem alimentadas, sendo 3 homens que gostam de prato cheio... no apartamento da minha amiga Miriam.

Passei a bola para meu marido cozinheiro e ele resolveu o problema. Compramos 2 1/2 quilos de tomates maduros, linguiça calabresa defumada, paio e um tanto de músculo. Ele fez o molho delicioso com uma pitadinha de pimenta para servirmos com fuzili fresco.

Meu humor foi melhorando e no final da noite já estava bem e é claro que me desculpei com o maridão. Ele me disse que como eu nunca tenho esses ataques, deu para suportar e entender. Bom, né?

Fomos para a Miriam e, como sempre, a recepção foi maravilhosa. Os dois maridos ficaram de papo e o vinho rolando. Tomei conta da cozinha até o ponto de chamar o mestre cuca. Os filhos da Mariam chegaram e nos trataram como velhos conhecidos, sem cerimônias. Uma delicia. A Cris chegou com os aperitivos e haja vinho!

Comemos salada e entradas e depois, o macarrão. Todos se fartaram e para encerrar, servi o doce de casca de mixirica que aprendi com a Aninha. Sucesso total!

Às 16 horas o taxi chegou e levou meu marido pipa para Guarulhos. Embarcou para Buenos Aires, de novo.

Voltei para casa e aqui fiquei, quietinha, agradecendo o reencontro maravilhoso de pessoas com quem cresci e tenho como minha familia.

Bjkª. Elza

PostHeaderIcon PREMIO DARDOS


Recebi esse prêmio de uma blogueira que frequento há pouco tempo. Trata-se de FELINA.

A resposabilidde é enorme e eu não sabia que estava sendo avaliada por transmitir todos os valores descritos abaixo. De fato, o blog é um momento de descontração e nele eu coloco o que me vai pela cabeça. às vezes um conto e no mais, coisas do dia a dia sem a menor pretensão literária.

Mesmo assim, só posso agradecer a gentileza da Felina.

O texo a seguir foi retirado do blog dela:

"Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc..., que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras”.

O prêmio tem regras, regras são necessárias para tudo na vida, o blog indicado deve:
1 – Aceitar e exibir a imagem;
2 – Linkar o blog do qual recebeu o prêmio;
3 – Escolher 15 blogs para entregar o Prêmio Dardos.

Essas regras me incomodam, pois:

1. não sei qual imagem devo exibir e menos ainda como consegui-la do blog que me indicou.
3. Escolher 15 blogs para entregar o prémio seria banaliza-lo. Frequento poucos blogs e nem todos os dias. Distringuir um em detrimento de outro não é meu repertório.

Os blogs linkados no espaço próprio são os que eu gosto por seus gêneros, modos e simpatia com que sou recebida, de modo que, acredito que todos mereçam a indicação.

Felina, vc foi linkada e fará parte de minhas visitas com mais assiduidade.

Bjkª. Elza
quarta-feira, setembro 03, 2008

PostHeaderIcon Mais frases que colhi pela vida

Menino andando de bicicleta com outro no cano, à noite, sem proteção, sem sinalização. Veio por cima do Baltazar que estava na coleira e de mim, que o guiava e ao mesmo tempo conversava com uma amiga.

Tudo errado! Ele não deveria estar sozinho na rua pois já eram mais de 21 horas. Não deveria estar sem os sinalizadores para ser visto à distância. Não deveria transportar outro menino, menor do que ele, no caso.

- Garoto, calçada não é lugar de bicicleta! Disse eu puxando o Baltazar para evitar um acidente.

Ele não falou nada, de imediato. O outro desceu do cano e ficou me olhando.

- É você quer que eu morra no meio da rua?



Tião veio colocar as peças do meu banheiro. Estuda daqui, estuda de lá, vê, olha, mede ...

- Dona Elza, aconteceu o que eu não queria. Furei um cano e está vasando água. Já fechei o registro e vou até o Ipiranga pegar minhas ferramentas para consertar o estrago.

Para quem não sabe, o Ipiranga é um bairro da zona sul distante do meu, por ônibus, pelo menos 1 hora e meia... Logo, ele demoraria mais de 3 horas para recomeçar o serviço, ou seja, não voltaria!!!!!!!!!!!!!!! Eram umas 14 horas quando o acidente ocorreu.

Arrumei ferramentas emprestadas para ele, mas não foi possível soldar porque estava tudo molhado.



Minha cliente parou o carro na frente da entrada de garagem para eu descer. Enquanto eu pegava a bolsa uma visinha apontou o carro para entrar. Foi o tempo de eu descer e de agradecer à vizinha pela pequena espera. Coisa de 20 segundos...

Entrei pelo portão da frente e o porteiro me segurou para me entregar correspondência. Cheguei ao elevador e precisei voltar e chamar o porteiro para resolver um probleminha com a porta.

A tal vizinha entrou e dirigiu-se ao outro elevador. Passou por mim e eu não apenas me desculpei por ter atrapalhado a entrada dela, como também agradeci por ela ter me dado a possibilidade de descer do carro em segurança. Ela não respondeu. Fez-se surda e muda.

- Juarez, essa moça é muda????????? Perguntei eu.

- Não sou não! Não estou com vontade de falar! Enquanto falava veio em direção ao elevador que eu escolhera.

Entramos juntas no elevador. Desci no meu andar com festas do meu marido e do Baltazar que se sacudiu inteirinho para mim e entrou no elevador, atrapalhando o caminho da tal.

Para os três casos eu dei respostas malcriadas, mas prefiro guardá-las para mim.

Bjkª. Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti