segunda-feira, janeiro 17, 2011

PostHeaderIcon Aviões

Meu marido é doido por aviões. Sabe modelos, tipos, tamanhos, cores, especificações técnicas e daí para frente. Coleciona revistas de aviação e não gosta de voar. Voa por necessidade, mas não aprecia.

Veio para a empresa em que ele trabalha um Inglês que é tanto ou mais doido por aviões e os dois armaram uma viagem para ver aviões.

Jeannette e eu não ficamos nada entusiasmadas, mas, fomos até São Carlos para visitarmos o MUSEU DA TAM Esse site é pura enganação. Nada fala sobre o museu, mas é o que está no folder que não consegui digitalizar para colocar no post.

O museu está em terras que já foram de meu bisavô no tempo do café; depois de um senhor que montou uma fábrica de geladeiras, outra de tratores e depois, de carros e faliu. Hoje, tem o museu da TAM e ainda, as oficinas para manutenção das aeronaves. O AEROLULA estava lá. Nessas terras existem 2 pistas de pouso.

São dois galpões enormes que abrigam, de inicio o guichê de entrada como se fosse o check in do aeroporto. Moças delicadíssimas no atendimento. Pendurado no teto, sobre nossas cabeças um belo avião e, ao fundo, o café. Um dos locais para se tomar café tem a forma da esteira onde são retiradas as bagagens. Os vidros são enfeitados com motivos de aviação. As luminárias parecem asas abertas.

No outro galpão tem um tunel do tempo. Passamos pelas invenções e protótipos maravilhosos, explicados e muito bem iluminados. Chegamos até Santos Dumont e assistimos filmes e vemos fotos e nos orgulhamos de sermos brasileiros.

A ultima sala nos embarca para a grande aventura, pois, quando a apresentação acaba e a porta é aberta, a emoção de instala: do alto nós podemos ver aviões e mais aviões restaurados, lindos, brilhantes e magestosos. Alguns pendurados no teto, só para nos lembrar para que eles servem, de fato!

A coleção começa com peças de 1910 e vem até nossos dias. Tem até um Panair lindo e imponente no salão. Vários Cessnas, Um Bufalo, DC3 e daí para frente. O Jahu está lá, na sua magnifica feiura. Aeronavas que dobram as asas para melhor se acomodarem nos porta-aviões também estão expostos. Muita coisa que foi da FAB e um, da FEB com direito a medalhas e fotos explicativas. Um caça está lá para nos contar que recebeu o ídolo nacional Ayrton Senna. O modelo que serviu para a primeira formação da nossa Esquadrilha da Fumaça está exposto. Tem mais coisas, muito mais ...

O espaço para crianças está lá, assim como o simulador de vôo.

Eu que não sou chegada em tecnologia e que não conheço essas máquinas voadoras fiquei entusiasmada a vi absolutamente todos os modelos expostos. Gostei. Gostei muito!

Senti falta de ar condicionado. O galpão enorme é muito quente. Muito, muito e muito quente. Meu marido sentiu-se mal e a Jeannette precisou sentar-se e descansou por mais de meia hora para tornar a caminhar.

Entrei na loja para comprar uma camiseta. Não gostei. Para um museu com tanta criatividade e tanta beleza, exibir camisetas com estampas no peito como se vê às centenas por aí, me decepcionou. Atém disso achei o preço salgado. Além de camisetas, pode ser adquirido pneu usado, jaquetas, bonés, aeromodelismo, mas não vi nenhum quebra cabeças. Senti a loja fraca e a atendente desinteressada. Ar condicionado impecavel.

Para quem tem um mínimo de interesse por aeromaves vale a pena, pois, é o maior museu particular, mantido por uma empresa aérea, do mundo.

Como chegar: saindo de São Paulo pegar a Rodovia Anhanguera ou Bandeirantes. Chegando em São Carlos, permanecer na Rodovia Washingtom Luis até a saída 235-B. Acessar a Rodovia SP-318 e percorre-la por 14 km. Entrar no KM 249,5. Telefone para contato (16) 3306-2020.

Elza
quinta-feira, janeiro 13, 2011

PostHeaderIcon Bolinha/bolota

Faz uns 4 meses que apareceu uma bolinha na articulação do dedo indicador da mão direita. A bolinha cresceu e virou uma bolota vermelha e que me incomoda. Cada vez que preciso colocar a mão dentro da bolsa tenho dor e medo de ferir a bolota; não posso bater numa porta e depois de muito teclar tenho dor.

Resolvi falar com emu dermato, pois, de inicio, pensei que fosse uma verruga. Como não é verruga, ele me mandou para o cirurgião.

Lá fui eu conversar com o plástico. Simpático e gentil, queria retirar a bolinha no consultório. Concordei e quando marcávamos o dia eu contei da minha alergia por xilocaína. Já tive choque por uso desse anestésico. O moço, na mesma hora, desistiu de mim, pois, só trabalha com esse produto.

Voltei ao dermato e ele me indicou outro plástico.

Nesse meio de tempo a bolinha já virara uma bolota e continua crescendo.

O segundo plástico foi objetivo: já que tenho alergia, vamos operar em hospital com todo o aparato do mundo para não termos surpresas. Marcou dia, hora e hospital e assim, hoje cedo, às 6:30h, em jejum, apresentei-me para internação.

Depois de todo o procedimento e de ganhar o kit higiene e 2 controles remotos, o mensageiro me levou ao apartamento.

Não era um apartamento e sim, a cela de alguma monja, mas, considerando-se que eu ficaria ali por umas 2 ou 3 horas dormitando, topei a parada.

Enfermeira entra para me dar instruções e o telefone toca ao mesmo tempo. Era o médico, morrendo de constrangimento, a me dizer que eu teria que receber anestesia geral porque o hospital não providenciara outra substância para anestesiar meu indicador para retirada da bolota.

- Vamos adiar. Anestesia geral? Por causa de uma micro cirurgia? Não tem cabimento!!!

- Mudamos de hospital na proxima vez, pode ser? Perguntou-se ele que recebeu o mais sincero sim que poderia ouvir naquela hora.

Recebi alta em poucos minutos e voltei para casa, com minha bolota.

É o fim do mundo!

BJs. Elza
sábado, janeiro 08, 2011

PostHeaderIcon Será o fim da novela?

Baltazar foi operado.

Finalmente deixamos que os veterinários retirassem aquela pelota que apareceu na parte interna da coxa dele e que inflamou e infeccionou na véspera de Natal.

Ainda não temos o resultado do exame laboratrial, mas até 3ª feira saberemos se é maligno. Creio que não. Ela firme, claro e sem sangue, mas bem grande.

Ele está se recuperando bem. Levou 7 pontos mas está bem. Pede para sair e sobe no sofé. Todos os pontos estão firmes fortes.

Como esse cachorro é cheio de surpresas, no dia da cirurgia ele apareceu com umas feridas no focinho e com o procedimento elas pioraram e agora, estou mantendo o coitado com o colar de proteção para que ele não coce essas feridas, já que, ele não lambe os pontos.

Vamos em frente. Ele está quase bom e ficará ótimo.

Bjs. Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti