segunda-feira, novembro 30, 2009

PostHeaderIcon Arremedo de Deus

Fui ao Forum para ler uma processo de falência.
O Cartório estava tranquilo e a recepção foi excepcional. Conversei com os funcionários e mostrei a dificuldade que é entrar no site para verificar o andamento de qualquer feito.
Falamos sobre a PRODESP e contei a história do Procom.
Em outras palavras, fui muito bem recebida e tratada. Coisa rara no Forum, mas aconteceu comigo.
Privilegiada como sou, ganhei até um cantinho com mesa e cadeira para ler o calhamaço de 18 volumes.
Estava eu entretida com minha leitura quando uma voz forte pergunta pelo Diretor do Cartório. Homem com mais de 60 anos, em camisa sem paletó e sem gravata. Estava nervoso e agitado.
O Diretor estava atendendo outra pessoa e dirigiu-se ao homem e lhe pediu para esperar um minuto para o atendimento.
- Eu tenho preferência porque sou Juiz. Olhe minha carteira funcional, estrilou o homem.
- O Senhor quer aquela certidão que já está pronta e sobre minha mesa. Preciso acabar esse atendimento, conferir sua Certidão e assina-la.
- Tenho direito a atendimento preferencial porque sou Juiz!!!
O Diretor continuou o atendimento que estava em andamento.
- Vou falar com meu colega. Assim não é possível!
Em menos de 3 minutos aquele homem gritara 3 vezes com o Diretor do Cartório e saiu para se dirigir ao Juiz.
Claro que os comentários comeram assim que ele se afastou. Eu fiquei observando a tudo e a todos e não me contive:
- Gente, o que é isso? Desde quando a lei dá privilégios para Juiz que vem ao balcão buscar um papel? Sou muito ignorante, mas o privilégio é para idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais.
- Juiz aposentado, Doutora, disse a simpática serventuária que me ofereceu suco de uva.
- Se for Juiz. Carteira funcional se compra por dez reais aí na praça em frente ao Forum, disse outra funcionária.
- Aqui ele não estava na posição de Juiz. Era um cidadão como outro qualquer. Onde já de viu ser grosseiro como ele foi... Comigo ele teria recebido uma resposta e tanto!
- Doutora, nosso Diretor é muito calmo.
- Eu vi! Ele nem levantou a voz. Tentou contornar a ansiedade do outro e recebeu gritos! Privilégio deveria ter advogado que encosta a barriga no balcão no exercicio profissional. Faltou berço para esse homem, disse eu, depois de agradecer o tomar o delicioso suco.
O Diretor entrou na sala, conferiu a Certidão e assinou. O telefone o convocou para a sala do Juiz.
- Já tem sua certidão? Agora saia da minha sala que tenho mais o que fazer, disse o Juiz da Vara ao Juiz aposentado.
- Vou à Corregedoria. Isso não fica assim!
O Diretor contou para nós e ainda brincou comigo:
- A Doutora está se divertindo, não está?
- Sim, eu me diverti com a situação toda e em especial com as falcatruas que li na falência. O picareta deu golpe de mais de 45 milhões de reais na praça, mas antes, desapareceu com a escrituração da empresa e com os bens dela e os pessoais.
- Aposto que sua cliente fica ligando para saber quando sairá o dinheiro dela. O pior é que talvez ela não venha a receber qualqur importância.
- Acho que vou voltar a executar na Justiça do Trabalho. Vou tentar que o Juiz do Trabalho desconsidere a personalidade jurídica e assim posso penhorar um terreno da pessoa física que achei aqui.
- Nossa, seria ótimo e a Senhora receberia...
- Diretor, eis meu cartão. Caso você precise é só me chamar que sou testemunha do que aconteceu aqui. Esse tal de Juiz aposentado esqueceu a educação em casa; esqueceu que não tem privilégio algum por ser juiz aposentado; esqueceu que é parte num processo e que tem advogado constituido nos autos para retirar a Certidão; esqueceu que há previsão no Código Penal para esse tipo de comportamento descrito como crime, podendo o faltoso ser processado. Tenho certeza que ele não vai conseguir nada indo até a Corregedoria, mas, nunca se sabe.
Saí de lá estarrecida. Imagine como esse homem deve ter sido quando no exercício do cargo! Arrogante, sem educação, despreparado emocionalmente...
- Ele pensa que é Deus! disse uma outra serventuária, baixinho, para mim, enquanto eu saia.
Bjkª. Elza
quinta-feira, novembro 26, 2009

PostHeaderIcon PROCOM outra vez

Recebi mais ligações de pessoas pedindo dinheiro para uma "entidade" que cuida (???) de crianças com câncer.


Ameacei e disse que reclamaria ao PROCOM.


- Pode reclamar, ora! Foi o que ouvi em resposta.


Liguei, outra vez, para o PROCOM e reclamei. Expliquei a situação de já ter cadastrado meu telefone de repente, voltar a receber ligações de telemarketing.


A atendente muito simpática e solícita me explicou que, apesar do meu telefone estar bloqueado:


1. Entidades beneficentes podem pedir dinheiro.

2. Empresas que oferecem serviços e televendas serão multadas.


Expliquei para ela que essas entidades são, muitas vezes, verdadeiras falcatruas. Existem empresas criadas para pedir dinheiro em nome dessas entidades fantasmas.


Funcionam assim: numa pequena cidade de Estado distante é criada uma " Casa Modelo de Apoio à Criança com AIDS", por exemplo. Não existe na verdade, mas foi criada de forma regular, ou seja, inscrita em todos os orgãos e com CNPJ. Uma empresa de telemarketing é contratada numa cidade grande, e em especial São Paulo, passa a telefonar em busca de "doações". O operador que consegue alguma fica com 20% e o restante é encaminhado para a "entidade".


Esse tipo de "entidade" não é criada nos centros maiores por causa da fiscalização.


Apesar de ser bandidagem e comedeira de dinheiro dos incautos, a lei permite essas ligações.


É até possível que alguma entidade séria se utilize desse expediente para aumentar sua renda, mas não conheço nenhuma, para ser sincera.



Preciso tomar cuidado e não perder a paciência com essas "operadoras" e tomar nota do endereço e todos os demais detalhes que elas possam me transmitir para retransmitir para o PROCOM.

Fui orientada para ligar para a Anatel e reclamar, também.

Hoje, enquanto eu estava em Caieiras uma funonária do PROCOM ligou aqui em casa e deixou o número para eu entrar em contato.

Muito simpática, me disse que embora eu tenha apresentado a reclamação via fax, para formaliza-la eu precisaria entrar no site.

Você já entrou no site do PROCOM? Não? Então tente.

Impossível fazer o site andar. Impossível registrar qualquer reclamação lá. Confuso, complexo e sem a menor explicação de como funciona. Não foi feito para leigos e menos ainda para ser usado.

Tentei com a atendente ao telefone, mas ela não podia acessar as páginas comigo porque são protegidas por senha !!!!!!! Coisas da PRODESP!!!!

Ela me ofereceu o telefone da ouvidoria para eu reclamar do site. Respondi que tentei me comunicar com esse departamento pelo site e não consegui e que se eu telefonasse, na certa ma enviariam para o site.

- Querida atendente, você é muito gentil e teve maior boa vontade para me ajudar, mas não quero o nome do Diretor, não. Essa briga eu não compro. Caso eu me aborreça mais alguma vez irei direto aos jornais. Mais fácil e mais barato. Meu tempo é caro demais para eu ficar reclamando e reclamando. Tenho certeza que houve vazamento de informações e que a lista dos telefones bloqueados foi vendida por alguém que sabe que é impossível reclamar ao Procom. Lembra-se que no meu fax eu perguntei se deveria reclamar ao Bispo? Estou indo até ele.

Bjkª. Elza
quarta-feira, novembro 25, 2009

PostHeaderIcon FUNDAÇÃO PROCOM

Não sei nos demais Estados do Brasil, mas em São Paulo a Fundação Procom disponibilizou serviço de bloqueio de linha telefônica para quem se cadastrasse e assim, não receberiam ligações de telemarketing, pedidos de dinheiro e esses aborrecimentos que todos nós conhecemos.

Por óbvio que tratei de me cadastar, correndinho.

Tive paz por alguns meses e, de repente, comecei a receber ligações de corretores de planos de saúde me oferecendo UNIMED PAULISTANA por intermédio da CAASP.

Na primeira ligação eu entendi que era a desorganizada Caixa dos Advogados (Caasp) que estava ligando, mas, percebi que, a CAASP não é desorganizada e que não era ela quem ligava e sim, empresa terceirizada.

Reclamei, disse que lamentavelmente eu já era desse horroroso plano de saúde e coisa e tal....

Dias depois outra empresa me liga com a mesma proposta. Estranhei. Reclamei.

Diversas outras ligações recebi de outros corretores de planos de saúde.

Comecei a receber pedidos de doações para creches e associações de ajuda a qualquer coisa.

Telefonei para a Fundação Procom no 151 que nem sequer dá sinal ... tentei comunicação pelo site e descobri que é impossível. Tentei o 151 diversos dias até ser atendida e recebi orientação para passar fax.

Fiz a carta e acabei de passar fax, pois, ontem à noite, fui incomodada por 3 operadores da CLARO, o que muito me aborreceu.

Depois eu conto no que deu, mas, eu perguntei ao Procom se devo reclamar ao Bispo dessa prestação de serviços capenga e informei que irei aos jornais denunciar o que está acontecendo.

Aguardemos.

Bj. Elza
sábado, novembro 21, 2009

PostHeaderIcon 2012

Catastrofismo no melhor estilo.
Prédios desabam, terra é rasgada, água enlouquece.
Tudo misturado, frio, calor, avião Antonov 500, imensas arcas carregando milhares de pessoas.
Para quem gosta é prato cheio.

No meio de toda essa desgraça um casal divorciado com dois filhos e o segundo marido enfretam uma enorme e pitoresca aventura.

O final feliz existe, é claro!

A teoria Maia não é explicada e nem justificada, mas aminada pelos tsunamis, fuligem decorrente dos incêncidos e esplosões e por aí afora.

Do meu ponto de vista não vale o preço do ingresso.

Bjkª. Elza
domingo, novembro 15, 2009

PostHeaderIcon MÉDICOS SEM FRONTEIRA

Recebi correspondencia dessa organização, ontem.
Pedido de doação, claro.
Depois de minha vivência naquela entidade beneficente ... aquela que estragou minha vida familiar e profissional ... aquela que me revelou o verdadeiro carater de algumas "amigas" ... prometi que não doo nada para ninguém
Acontece que li a correspondência remetida e fiquei consternada por perceber que nessa organização não tem ninguém capaz de rever o texto que vai para a gráfica e menos ainda, de corrigir esse texto.
Existem erros de concordância.
Pontuação errada.
Pronomes desnecessários ...
Entrei no site e ofereci ajuda para rever o texto, mas não doo dinheiro.
Aguardo resposta.
Caso alguém queira doar, basta entrar no link acima.
Bjkª. Elza

EM TEMPO: HOJE É 22 DE NOVEMBRO DE 2009 E NÃO RECEBI RESPOSTA DESSA ENTIDADE.
terça-feira, novembro 10, 2009

PostHeaderIcon Meme da Ana de Lavras





LI no Roccana com as seguintes regras:


1. Publique o selo.
2. Complete as frases logo abaixo...

3. Avise a Elaine (para concorrer ao sorteio de um livro chamado "O Outro"). O sorteio já foi e não avisei da minha participação.

4. Repassea para 5 blogs!


Minhas revelações são as seguintes:


EU JÁ... realizei mais de um sonho

EU NUNCA... digo nunca

EU SEI QUE... vou morrer

EU QUERO... tanta coisa que não não consegui indicar uma só

EU SONHO... mudar de profissão e me realizar na arte.


Repasso para quem quiser participar e peço que me avisem, para eu colocar o link aqui!Obrigada, Elza!
domingo, novembro 08, 2009

PostHeaderIcon Uma situação verdadeira


Sempre que podia ela visitva os dois idosos. Passava pela casa deles e lhes fazia companhia, conversava os assuntos deles, respondia-lhes as questões.

Eventualmente jantava com eles.

Sentia-se bem naquele casarão, muito embora, por estar sempre fechado, acabou por ter um cheiro característico e nada agradável.

Conversava com ela como se fosse sua mãe. Certa vez pediu conselho e recebeu e usou daquelas palavras ditas por pessoa vivida.

Eles ligavam para ela a qualquer hora para questões de somenos importância e ela atenta, respondia, em troca do carinho e da possibilidade de estar perto, pois, desenvolvera carinho verdadeiro pelos idosos.

Essa relação durou muitos anos. Ela ajudou a resolver os problemas com o motorista que ameaçou mandar bandidos sequestrarem as netas do casal se fosse despedido; os problemas da arrumadeira que separou-se do marido de quem apanhava; da cozinheira que fugiu sem dar noticias e depois voltou grávida e assim por diante. Orientava a mulher que tomava as providências. Jamais se envolveu com os empregados pessoalmente.

Sentia que tinha conquistado amigos de verdade e dedicava muitas de suas horas de laser a eles, até o dia em que precisou ir até lá, a pedido do idoso e estava sem carro. Pediu para que o motorista da familia a apanhasse e devolvesse à casa, no que foi prontamente atendida.

- Moisés, por favor, ponha o carro mais para frente. Aqui tem um buraco e está cheio de água e não tenho como entrar no carro.

O motorista já cometera a indelizadeza de abrir a porta do carro sem descer dele, como lhe competia, resmungou para movimentar o veículo e o tirar a poça dágua.

Ela estranhou, tentou ser simpática e só recebeu descaso. Na entrada da residência daqueles amigos, o motorista cometeu outra indelicadeza, pois, abriu a porta do carro e ao mesmo tempo o portão para ela entrasse.

Por fim, ela acomodou-se com os amigos e passou a lhes dar as informações solicitadas. Explicou pela milésima vez os mesmos temas. Ouviu pela milésima vez as mesmas questões, pois, ele está muito doente, com dores fortes e medicamento controlados.

No curso da conversa, a filha do casal chegou e mal a cumprimentou. Sentou-se ao lado do Pai e retirou de uma sacola um panetone e uma caixa de bombons.

- Pai, você ainda não tomou o lanche não é? Já falei para me esperar que eu venho e trago coisinhas que eu sei que você gosta...

Em questão se seguntos, levantou-se e avisou que iria mexer nuns papéis na outra sala. A Mãe a seguiu.

Ela estranhou o comportamento e entendeu que a Mãe dera sinal para a filha sair e não tocar no assunto do lanche. Era coisa de familia e ela não era da familia.

Eis que o idoso lhe pergunta quanto estava devendo por todas aquelas explicações e detalhes ...

Dever? Ela não cobraria nada! Não se cobra quando há carinho e dedicação para amigos especiais ...

A ficha caiu naquele instante. Amigos? Nunca o foram e a maior demonstração está no comportamento do motorista que, só trataria com descaso pessoa que fosse desprezada pelos patrões. No mínimo esse motorista ouviu comentários feitos pelos patrões e sentiu-se no direito de tratá-la como aqueles não o faziam por interesse.

Ela cobrou e pediu que o cheque fosse entregue na hora. Recebeu e mudou até o tom de voz para despedir-se. Sentou-se no carro como se rainha fosse e mandou no motorista com voz firme e resoluta.

Está triste, contudo, pois acreditou que tivesse conquistado amigos e verificou que sempre foi usada e desprezada.

Elza
domingo, novembro 01, 2009

PostHeaderIcon Susto

Sai para lanchar e pagar com o cartão de débito.
Colocado na maquina não vi autorização para digitar senha, mas a mulher do caixa disse que era hora.
Digitei e a senha apareceu no visor da máquina.
Estrilei na hora e o cartão foi retirado. Paguei em dinheiro.
Liguei para o banco e bloqueei o cartão e a senha.
Já pensou se meu cartãozinho foi clonado, bem embaixo do meu nariz???
Na 3ª feira preciso pedir outro cartão da redeshop.

Mudando de assunto: como faço com minha vizinha de cima? Ela e as filhas tem ferraduras nas solas dos sapatos, arrastam e derrubam móveis à noite e a cachorrinha chora sem parar... Falam alto a ponto de eu ouvir a zueira, ligam música em alto o bom som ...

Bjkª. Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti