quinta-feira, dezembro 22, 2011

PostHeaderIcon Feliz Vida

NÃO VOU LHE DESEJARUM FELIZ ANO NOVO. Não vou desejar que nesse ano encontre paz e felicidade permanentes. Não vou desejar que supere todas as suas metas e vença todos os desafios, encontre alegria no amor, fique rico e seja sempre a pessoa mais lindae simpática do planeta (mas vou desejar saúde. Porque com saúde não se brinca). Não vou desejar que 2012 seja o melhor ano de todos os anos de sua vida. 365 dias é muito pouco para todas as conquistas, todos os desafios e tudo o mais que deseja fazer, ser e ter. Esse ano, quero desejar outra coisa. Desejo que se lembre de todas as conquistas que teve. Que olhe para trás e veja tudo o que foi aprendido, se lembre de todas as pessoas que apoiaram e quem você foi em todas essas situações. Que determine a vida que quer levar. De repente não é a que está levando agora, a que seus pais querem que leve. Ou seu amor. Ou seus amigos. Ou sua comunidade. Pare e pense na vida que você quer ter. Escolha as pessoas que lhe acompanharão. Aquelas que agregam, que lhe dão apoio em todos os momentos. Escolha as que querao seu lado e querem estar ao seu lado. Descubra o que lhe dá prazer e trabalhepara que seja constante em seu dia-a-dia.Faça o que você ama e ame o que faz. Reconheça as características pessoais que não gosta e aprenda a mudá-las (ou aceitá-las). Você pode ser uma pessoa melhor todos os dias. Por que quem você quer ser já está dentro de você. Então, procure. Insista e não desista. Sim, um ano inteiro é muito pouco para tantos desejos. Então, vamos lá. Procure dentro de você a força que precisa. Suspire fundo. Comece. Agora. Sua vida está esperando. Feliz vida para você.
sábado, outubro 29, 2011

PostHeaderIcon CAPEMI E OUTROS ESTELIONATOS

Fico boquiaberta com a quantidade de comentários que o post sobre a CAPEMI recebe. O golpe continua a ser disseminado pelo País.

Pessoas e pessoas recebem aquela ridícula carta com informações absurdas e mentirosas sobre processos inexistentes, e POR PURA GANÂNCIA, caem no golpe. Nem se preocupam em conferir os dados e, depois de perderem seu rico e suado dinheiro, dão o caso por perdido e fica o dito pelo não dito!

Esse é o país das pessoas espertas e que não abrem mão de dinheiro fácil, seja lá a origem que tiver.

Elza
domingo, outubro 02, 2011

PostHeaderIcon P. D. C.

Estou pensando em formar e registrar um partido novo.
PARTIDO DA DESOBEDIÊNCIA CIVIL
Objetivo: não recolher aos cofres públicos os importos diretos.
Quanto aos indiretos, não sei como fazer, mas ... os diretos, não recolher.
Exigir que o absurdos ganhos pelos vereadores, deputados e senadores, desembargadores e Ministros sejam reduzidos em 70% e o que sobrar, destibado à educação e saude.
Nada de casa, carro  gasolina e outros benefícios apra esses acima citados.
Por que um vereador tem carro do governo e uma professora, ganha R$ 600,00 por mês?
Ela é concursada e ele, está de passagem...

Assim, aceito novas propostas e sugiro que esse partido seja apenas virtual, mas efetivo e que funcione.

Até a próxima.
sexta-feira, setembro 09, 2011

PostHeaderIcon Lembranças

- Elzinha, estive na minha cidade para cuidar de minha avó que teve um derrame. Está bem e não ficou com sequelas. Minha cidade? Santa Cruz do Rio Pardo.

Naquele instante, diante da fala de minha manicure, me vi menina, de pés no chão, brincando na rua com minhas primas. Vi meu maiô branco de bolas coloridas e o rio em que nadávamos. Lembrei da pinguela que usávamos para chegar à casa de minha avó-madrinha. Lembrei-me de meu avô, tão velhinho com quem eu jogava Escopa e Crapô. Quando ele faleceu aos 88 anos, eu tinha 10.

Não residi em Santa Cruz e passei alguns períodos de férias lá, mas o filme daqueles dias me veio com tanta nitidez que me emocionei.

Lembrei do enterro do tio Amado naquele dia chuvoso e com muito barro para se chegar ao cemitério. Acredito que eu estivesse com uns 4 ou 5 anos naquele dia. Foi meu primeiro enterro.

Quando iamos para lá minha avó-madrinha me pegava e me levava para dormir com ela no quarto que ficava embaixo da cozinha. Ela me aconchegava numa cama e se deitava na outra. Conversávamos um pouco e eu acordava com o café da manhã repleto de pães feitos em casa.

Ela mantinha uma folhina na parede com os dias marcados para pagamentos, remédios e sei lá mais o quê. Eu chegava, pegava a folhina e rabiscava, pois, não sabia da importância daquelas marcações. Ela ria...

Depois, ela e meu avô mudaram de casa e tinha no quintal mexirica, limão, hortelã, erva cidreira e outras coisas que não me lembro. Eu pedia para ela fazer chá de hortelã para mim. Na hora das refeições ela fazia limonada com limão rosa e jamais tomei limonada tão gostosa. Minha Mãe dizia que a limonada era rezada, mas não sei se era graça ou verdade.

Não fui ao enterro de meu avô, mas me lembro do velório.

Já mocinha, minha prima me ensinou a fumar e me iniciou no vício que deixei faz uns 10 anos.

Depois que minha avó morreu eu não estive em Santa Cruz muitas vezes, não. Tia Evanira se foi pouco depois e tia Nadyr morava em Bauru. Tio Breno se escondeu em São Pedro do Turvo e Tio Alcindo veio apra São Paulo.

De lá, sobraram as lembranças e ao que me consta, nenhum parente.

Acredito que meus avós estejam enterrados no cemitério daquela cidade e, depois desse mergulho no passado, penso em traze-los para cá e deixa-los junto de meus pais. Meu Pai era profundo admirador de meu Avô e dizia-se filho de minha Avó.

Já disse e repito: adoro envelhecer.

Bjs. Elza
segunda-feira, agosto 08, 2011

PostHeaderIcon Faz tempo que não venho aqui

Tantas coisas aconteceram que acabei deixando esse cantinho em descanso por uns tempos.
Todavia, ontem, tive uma conversa que acabou comigo.
Todos os momentos dificeis que vivi anos atras voltaram para me atormentar. Todas as memórias já trabalhadas e armazenadas em locais estratégicos voltaram e resolveram mexer comigo.
Estou triste, pois, o que parecia tão resolvido não está.
Estou contente, pois, embora essas memórias me incomodem, ainda acho que tomei a decisão certa e não me tornei um ET solto no tempo e no espaço, sem familia e sem amarras e sem referências.

Fiz pão integral e não gostei.

Bjkª. Elza
sábado, junho 25, 2011

PostHeaderIcon Aventura deliciosa

Aproveitei a deixa de meu marido e propus que ele me deixasse em Caraguatatuba enquanto trabalhava no litoral norte e fosse me buscar no final da tarde. Eu ficaria com a Ana Maria o dia inteiro.
Depois de perguntar para a Ana se ela estaria em casa recebi uma advertência: Não vá me decepcionar!
No final, esse projeto não deu certo. Meu marido não precisou ir.
Resolvi ir de ônibus e o maridão deu a maior força. Organizei a casa e os bichos com a Maria e feliz da vida, telefonei para a Clô:
-Vou de ônibus para Caraguá ver a Ana, amanhã cedo!
Ela falou para o marido que estava na sala e ele, de cara:
- Por que vc não vai também?
Resolvido! Comprei as passagens.
No dia seguinte, às 7 da matina passei na casa dela e fomos para a Rodoviária.
Ao se despedir de mim o maridão disse:
- Bem, vocês vão ter cãibras nas linguas de tanto falar, não vão?
Pegamos o ônibus e falando, sem parar chegamos em Caraguá. A alegria da Ana ao ver a Clô valeu a viagem! Muitos abraços e risos e conversas sem fim. Passeamos pelas praias e comemos um peixe delicioso e nos melamos na sobremesa bem feita.
Passamos na casa da Mãe da Ana e lá, além do carinho inesperado de duas lindas vira-latas, recebemos a acolhida gentil e alegre dela, que nos fez café e não queria que partíssemos.
Todavia, era tarde, na casa da Ana pegamos os casacos e rumamos para a Rodoviária e de lá, para casa.
- A noite cai depressa nessa época do ano, não é? Disse Clô.
De fato, tomamos o ônibus às 17:40h e às 18, no inicio de nossa jornada já estava escuro.
Cheguei por volta das 21 horas, cansada, com um pouco de fome e muito feliz.
Depois do banho de quase uma hora, dormi o sono dos justos e só saí da cama às 11 da mahã.
Uma grande experiência. Uma viagem deliciosa. Recepção ótima e carinhosa. Retorno tranquilo. Companheira de viagem perfeita.
Recebi, ainda no ônibus, recado do Marido da Clô: diga para a Elza não inventar mais nenhuma ...
Resposta: hoje, eu prometo!
Enviei e.mail para a Eliana perguntando se ela nos deixa assistir à Parada Gay da janela do apartamento dela, no domingo kakakakakakak
Bjs. Elza
segunda-feira, junho 20, 2011

PostHeaderIcon A vida é bela


Isso mesmo, estou parodiando o nome daquele filme, mais para dizer que não tenho comparecido aqui para deixar minhas impressões e meus pensamentos por absoluta falta de tempo e, porque tenho me ocupado do real.
Tenho me dedicado a mim mesma. Saido com amigas, tratado dos bichos, e cuidado do marido, sendo que a cada dia uma coisa diferente acontece: ou audiência, ou prazo judicial, telefonemas de pessoas diferentes, tapete para terminar de bordar, feridas no Baltazar que não cicatrizavam, falhas no pelo da Thelma Louise, dente quebrado e marido pedindo cafuné...
Como sou uma só, acabei deixando esse canto abandonado. Achava que não tinha nada para postar, mas, de fato, o tempo andou escasso.
Ontem eu fui devolver um filme no video e peguei outro, por acaso, apenas porque o ator é Colin Firth, aquele do Discurso do Rei.
Pois bem, um professor homossexual que tem relação estável com um parceiro por 16 anos se vê só, em decorrência da morte repentina do outro num acidente de carro. A partir daí as cenas, o desenrolar da história e as interpretações de todos os atores são apenas perfeitos. Nada em excesso. Nada fora do lugar. Sentimentos tratados com delicadeza e respeito.Vale a pena assistir.
Gostei de DIREITO DE AMAR, um filme de Tom Ford e recomendo.
Bjkª. Elza
quarta-feira, maio 18, 2011

PostHeaderIcon Sobre a Vírgula...

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI(Associação Brasileira de Imprensa).

Vírgula pode ser uma pausa... ou não.


Não, espere.
Não espere..


Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.


Pode criar heróis...
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.


Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.


A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.


A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!


UMA VÍRGULA MUDA TUDO.ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

Detalhes Adicionais:


SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.


* Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER...*

Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM...


Bjs. Elza
sábado, maio 14, 2011

PostHeaderIcon COISAS DA VIDA

RECEBI COMO ESCRITO DA LAVRA DE CLARICE LISPECTOR, MAS JÁ HOUVE CONTROVÉRSIA. REPASSEI PARA UM GRUPO E UMA DAS COLEGAS DISSE QUE NÃO É DESSA AUTORA. DE FATO, NÃO SEI QUEM ESCREVEU, MAS GOSTEI E PUBLIQUEI. QUEM PUDER ESCLARECER A AUTORIA, POR FAVOR, FAÇA-O. DAREI OS CRÉDITOS.


COISAS DA VIDA – Clarice Linspector

Já escondi um amor com medo de perdê - lo,

Já perdi um amor por escondê - lo...
Já segurei nas mãos de alguém por estar com medo,

Já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida,

Já me arrependi por isso...
Já passei noites chorando até pegar no sono,

Já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos...
Já acreditei em amores perfeitos,

Já descobri que eles não existem...
Já amei pessoas que me decepcionaram,
Já decepcionei pessoas que me amaram...
Já passei horas na frente do espelho t
entando descobrir quem sou,
Já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir...
Já menti e me arrependi depois,

Já falei a verdade e também me arrependi...
Já fingi não dar importância a pessoas que amava,

Para mais tarde chorar quieto em meu canto...
Já sorri chorando lágrimas de tristeza,
Já chorei de tanto rir...
Já tive crises de riso quando não podia...

Já acreditei em pessoas que não valiam a pena,
Já deixei de acreditar nas que realmente valiam...
Muitas vezes deixei de falar o que penso para
agradar uns,
Outras vezes falei o que não pensava para magoar outros...
Já fingi ser o que não sou para agradar uns,
Já fingi ser o que não sou para desagradar outros...
Já senti muita falta de alguém,

Mas nunca lhe disse...
Já gritei quando deveria calar,
Já calei quando deveria gritar...
Já contei piadas e mais piadas sem graça,
Apenas para ver um amigo mais feliz...
Já inventei histórias de final feliz

Para dar esperança a quem precisava...
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...
Já tive medo do escuro,

Hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali"...
Já caí inúmeras vezes
Achando que não iria me reerguer,
Já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais...
Já liguei para quem não queria

Apenas para não ligar para quem realmente queria...
Já corri atrás de um carro,
Por ele levar alguém que eu amava embora.
Já chamei pela mãe no meio da noite
Fugindo de um pesadelo,
Mas ela não apareceu
E foi um pesadelo maior ainda...
Já chamei pessoas próximas de "amigo"

E descobri que não eram;
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada
E sempre foram e serão especiais para mim...
Não me dêem formulas certas,

Porque eu não espero acertar sempre...
Não me mostre o que esperam de mim,
Porque vou seguir meu coração!...
Não me façam ser o que eu não sou,
Não me convidem a ser igual,
Porque sinceramente sou diferente!...
Não sei amar pela metade,

Não sei viver de mentiras,
Não sei voar com os pés no chão...
Sou sempre eu mesma,
Mas com certeza não serei a mesma para sempre...
Com o tempo aprendi que o que importa não é o que você tem na vida,

mas QUEM você tem na vida...
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher....

Gosto de cada um de vocês de um jeito especial e único....

Bj. Elza
quinta-feira, abril 28, 2011

PostHeaderIcon Motocicletas e motociclistas

Quando mocinha andei encarapitada numa garupa de motocicleta.

Gosto muito. Motos grandes e motoristas responsáveis.

Considerava um meio de transporte prazeiroso.

O tempo passou e o volume de automóveis nas ruas aumentou muito, assim como o de motos. O prazer foi substituido pelo medo.

Hoje eu tenho receio de andar de moto, não apenas por causa da irresponsabilidade dos entregadores, ou "cachorros loucos", mas também pela impaciência dos motoristas de automóves que não respeitam os espaços das motos.

Mesmo numa moto grande, tenho medo de acidentes e de "fechadas".

Tenho mais medo, porém, dos roubos. As motos grandes e seus motoristas são vítimas de tiros. O filho de meu marido teve sua moto roubada por dois individuos armados. Enquanto um o ameaçou o outro levou a possante e imensa BMW que ele dirigia.

O pior de moto na cidade de São Paulo nem é isso, mas, as pequenas, de até 200 cc dirigidas por jovens sem a menor noção de perigo e que não observam que seus corpos são seus escudos em caso de acidentes. Andam pelo trânsito sem respeitar nada e nem ninguém. São ágeis e ninguém consegue anotar placas ou alcançá-los quando fogem.

Eles não param antes da faixa de pedestres. Param em cima dela para furar o farol fechado e, é comum atropelarem pessoas que atravessam . Trocam de faixa sem cerimônia, sem observar a velocidade do carro que, infalivelmente sofre uma fechada! Chutam os espelhos laterais dos carros e jogam as caçambas por sobre as latarias e as amassam, de propósito. Xingam motoristas, estacionam sobre calçadas, andam na contra-mão e por aí afora.

São vândalos impunes.

Eventualmente tomo conhecimento da morte de algum desses vândalos. Uma conhecida perdeu o dela, faz uns 15 dias, porque, com auxilio da mãe comprou a moto. Ele não tinha carta, bebeu demais e saiu fazendo gracinhas na garupa de sua própria moto. Um primo, também bêbado e também sem carta, que a dirigia, conseguiu acertar um carro em cheio. O garoto de 20 anos morreu na hora e o motorista, um pouco mais velho, casado e pai, deixou rastro de cérebro pela rua. Ficou com severa sequela e jamais saberá seu nome, de novo.

Qual é a atitude das autoridades a respeito disso?
Qual é a atitude das revendas de motos?
Qual é a atitude da população em geral?
Qual é a atitude dos motoristas responsáveis?

Bjkª da Elza
segunda-feira, abril 25, 2011

PostHeaderIcon Nhoque

Quem me acompanha sabe que pouco entendo de arte culinária, mas sou curiosa e bem intencionada. Procuro assistir a programas de receitas e observo como meu marido prepara pratos. Pergunto para amigas e pessoas que dominam a arte do fogão e aos poucos, estou aprendendo.

Mesmo assim, toda vez que ofereço um prato para meu marido ele quer saber os ingredientes e como eu desenvolvi a receita. No início eu contava, mas agora, digo que é segredo e que se ele quiser desfrutar, que o faça. Recuso-me a contar os detalhes.

Noutro dia, assisti um chefe ensinando a fazer nhoque e achei fácil. Resolvi servir esse prato, mas, meu marido foi ao mercado e comprou todos os ingredientes e disse que ele faria. Todavia, não levou à frente o intento.

No domingo de Pascoa eu me ofereci para fazer o almoço e, felizmente, ele permaneceu entretido na internet e me deixou trabalhar em paz.

Limpei um pé de brócolis e separei as flores para o nhoque. O restante fervi para uma sopa.

Coloquei água no caldeirão para ferver o nhoque.

Peguei linguiça calabresa defumada e tirei a pele. Cortei em pedaços pequenos e fritei no azeite.

Cortei tomates cereja ao meio e levei à frigideira.

Um pouquinho de vinho tinto na frigideira fez soltar os restinhos da fritura e ajudou a formar um sabor especial.

Passei as flores de brócolis na água fervente e depois no gelo e dalí, para a frigideira. Desliguei o fogo enquanto cozinhei o nhoque naquela água com gosto de brócolis.

Levei o nhoque para a frigideira e esquentei um pouco. Servi com muito queijo ralado.

Observe que não falei nem em cebola, nem em alho ou em sal... O tempero veio da calabreza e do vinho.

Depois do almoço fervi 3 batatas com casca e tudo na água do brócolis. Guardei na geladeira e, agora cedo, vou bater o brócolis com as batatas e o tempero que farei numa frigideira, no liquidificador para virar uma pasta. Colocarei um pouco de leite e servirei como sopa. Claro que os ajustes serão na hora. Essa é a idéia, apenas.

Bom apetite.

Bjs. Elza
domingo, abril 17, 2011

PostHeaderIcon Quando não é para ir...

Por qualquer razão que nem imagino qual seja meu anjo da guarda ou outra entidade resolveu que eu não deveria ir ao enterro de minha tia-madrinha em Itatiba. Começou na 5ª feira quando resolvi ir à noite de ônibus e ouvi meu marido para só ir no dia seguinte de madrugada. Dormi mal. Acordei às 5h e me arrumei para sair. Já combinara de ir com meu primo Dilson e sua esposa. Iria até a casa deles, guardaria meu carro na garagem, tomaria café da manhã com eles e, antes das 6 estaríamos na estrada. Numa esquina, no meio do caminho, tem uma micro praça que eu não conhecia e eu, em excesso de velocidade subi nela e acabei com o pneu dianteiro do carro. Não me machuquei, mas fiquei furiosa. Liguei para o Dilson e narrei o ocorrido e meu telefone começou a me avisar que estava com a bateria fraca. Pedi ao Dilson que ligasse para o guincho e forneci todos os números do cartão e meu CPF. Nenhum atendeu! Ele veio me ver e constatou que era só pneu, mas não pode trocar porque tem pinos nas costas. Fomos para um ponto de taxi, já que eu decidira vir para casa e daqui providenciar socorro. O motorista do taxi trocou o pneu e cheguei antes do rodizio, aqui. Liguei para o Dilson para avisar que estava bem e ele com a esposa já estavam na estrada. Tomei café da manhã, cuidei dos bichos, de novo e, resolvi pegar o carro do marido. Ele estava em Belo Horizonte, com o documento no bolso. Saí sem o documento e parei no posto para abastecer. O frentista me diz que o carro está seco de óleo. "Nem uma gota, moça! Vc não pode viajar com o carro assim...! Meu marido é cuidadoso e atento com o carro, mas como posso arriscar? Sem documento e sem óleo??? Já pensou ser barrada na estrada e o carro apreendido??? Paguei a gasolina com meu cartão do dia 12. Voltei para casa, liguei para o Dilson e contei o ocorrido. Os anjos disseram NÃO VÁ!!!!!!!!!!!!!!!!! Fiquei aborrecida, triste e sem graça, mas obedeci à ordem emanada não sei de onde e nem por quem. No dia seguinte dei pela falta do meu cartão de crédito. Foi bloqueado e até a hora do bloqueio o último gasto nele foi a gasolina. Quando é não, é não e fim de conversa!!! Minha prima é espírita e não mandará rezar missa. Farei o possível para visitar-la na 6ª feira e, no próximo sábado irei à missa na Paróquia São João de Brito e colocarei o nome da tia para receber orações. Bjs. Elza
quinta-feira, abril 14, 2011

PostHeaderIcon Faz dias

que estou procurando um meio de visitar minha tia-madrinha de 95 anos, entrevada numa cama. Tentei e tentei e não consegui. Uma coisa atrapalhando o dia e a noite. Solicitações diversas e dificuldades pessoais muito grandes me impediram de me despedir dela. Minha prima ligou e me avisou que ela se foi. Só sei isso. Nada perguntei e só saberei amanhã. Peguei carona com um primo para ir ao enterro e voltar para São Paulo. Estou estranha, nem triste e nem nada. Ela estava sofrendo e precisava descansar e por isso não estou triste. Minha prima ficou só e por isso estou preocupada. Lido muito mal com as perdas. Bj. Elza
segunda-feira, abril 11, 2011

PostHeaderIcon Primeiro Aniversario

No 10 de abril completamos o primeiro ano do reencontro. Dia inesquecível, já que, eramos 16 colegas e a maioria não se via há 45 anos. Depois desse primeiro encontro outros ocorreram e mais colegas se juntaram às 16 originais. Chegamos a reunir 22 num jantar deliciosamente orquestrado por outra colega. As "estrangeiras" vieram até nós. Tanto a que reside em Caraguatatuba, como as duas que se instalaram no Rio de Janeiro, a belga que está lá longe, em Bruxelas e outra, que viaja tanto que nunca sei onde ela está, e tem base oficial no interior de São Paulo, compareceram nalgum dos encontros festivos. Temos fotos e mais fotos de todos os encontros. Por meio delas é perfeitamente possível observar a evolução das pessoas. Uma que estava muito triste por causa da viuvez aos poucos de soltou e coloriu o rosto e as roupas. A outra gorda que emagreceu e por aí afora. Cada uma teve oportunidade de contar a história de sua vida. As tragetórias são lindas. Cada uma teve sua luta pessoal, seu desgaste próprio, sua conquista e, de modo geral, somos todas vitoriosas. As mais tímidas, como eu, se soltaram um pouco e as mais espevitadas, ainda o são. Nessa próxima 4ª feira estaremos juntas, mais uma vez, para comemorar nosso reencontro e recebi da Lidoka esse versinho:
Brincando de abraçar todas, de uma só vez:

Me faço um laço cujas pontas adormecidas,

e por décadas perdidas, se encontraram outra vez

Me faço o laço que a Elza e a Clô empenhadas, decididas, conseguiram re-fazer

Me faço o laço, sem idade e pra sempre, pra abraçar nosso carinho, e mantê-lo bem quentinho. Que o laço refeito se mantenha atado, FOREVER, enfeitando os nossos corações, com Calor, Alegria, e amoroso Afeto.
Lembram-se das Frenéticas? Pois então, a Lidoka das Frenéticas e eu fomos colegas de ginásio e ela é poeta. Escreve muito bem e poetou a nosso respeito os versinhos que vocês leram. Tenho alguns depoimentos lindos, mas não posso publicar pois, não pedi autorização para as escritoras. Só para a Lidoka e aí está. Mais um aniversário para ser comemorada. Que delicia! Bjs. Elza
sábado, abril 02, 2011

PostHeaderIcon O tempo está passando

Estou tão cansada que hoje eu liguei para a casa de minha amiga Regina que tem uma irmã chamada Rosângela. Atendeu voz de moça jovem e acho que foi a Isabella e eu tasquei, sem pestanejar: QUERO FALAR COM A ROSANGELA, por favor... Ela respondeu: SÓ À TARDE! Desligamos e eu caí em mim naquele segundo. Liguei em seguida. Olhe, eu me enganei e pedi para falar com a Rosangela, mas quero falar com a Regina. Do outro lado da linha: Alô????? Como???? Tentei explicar e caiu a ficha: a Regina atendera a segunda chamada. Conversamos longamente e rimos muito das minhas trapalhadas. Mais tarde, encontrei uma queridissima amiga cachorreira e, conversa vai, conversa vem, eu disse para ela dar carvão vegetal para o cão dela que está com diarréia. Ela queria comprar uma caixa para ter em casa. Expliquei que ela usaria umas 2 ou 3 capsulas e o remédio ficaria guardado na gaveta e que era bobagem ela comprar. Ela quis me pagar pelas cápsulas que eu lhe cederia e não aceitei. - Amiga, tenho 2 caixas desse produto e acabarão perdendo a validade porque uso muito pouco. Precisei de algumas capsulas e comprei uma caixa e eu já tinha uma em casa... - Jura que você fez isso? Eu faço sempre essas coisas. Vou comprar algo que já tenho ou que esqueci que já comprei na véspera ... Ai que bom saber que outra pessoa faz isso!!! Sabem o que significa isso tudo? O tempo está passando, só isso! Bjs. Elza
segunda-feira, março 28, 2011

PostHeaderIcon Oração do envelhecimento

Ó Senhor, tu sabes melhor do que eu

que estou envelhecendo a cada dia.

Sendo assim, Senhor,

livra-me da tolice de achar que devo dizer algo,

em toda e qualquer ocasião.

Livra-me, também, Senhor, deste desejo enorme que tenho

de querer pôr em ordem a vida dos outros.

Ensina-me a pensar nos outros e ajudá-los,

sem jamais me impor sobre eles,

mesmo considerando com modéstia a sabedoria que acumulei

e que penso ser uma lástima não passar adiante.

Tu sabes, Senhor, que desejo preservar alguns amigos

e uma boa relação com os filhos,

e que só se preserva os amigos e os filhos...

quando não há intromissão na vida deles.


Livra-me, também, Senhor,

da tolice de querer contar tudo com detalhes e minúcias

e dá-me asas para voar diretamente ao ponto que interessa.


Não me permita falar mal de alguém.
Ensina-me a fazer silêncio sobre minhas dores e doenças.
Elas estão aumentando e, com isso,

a vontade de descrevê-las vai crescendo a cada ano que passa.


Não ouso pedir o dom de ouvir com alegria

a descrição das doenças alheias;

seria pedir muito.
Mas, ensina-me, Senhor, a suportar ouvi-las com paciência.


Ensina-me a maravilhosa sabedoria de saber

que posso estar errada em algumas ocasiões.
Já descobri que pessoas que acertam sempre

são maçantes e desagradáveis.


Mas, sobretudo, Senhor,

nesta prece de envelhecimento, peço:
Mantenha-me a mais amável possível.

Livrai-me de ser santa.
É difícil conviver com santos !


Mas uma velha rabugenta, Senhor,

é obra prima do diabo!
Me poupe!!!
Amém!


Bjs. Elza

segunda-feira, março 21, 2011

PostHeaderIcon O milagre da multiplicação







Ofereci flores para meus amigos e leitores no meu aniversário. Vejam o que aconteceu, minha gente, aumentaram de volume!!!
Bjs meus queridos. Obrigada.
Elza






quarta-feira, março 16, 2011

PostHeaderIcon Meu aniversario


17 de março de 2011, meu aniversario


Adoro flores simples, sem perfume, mimosas e discretas.

Estou me presenteando com essas flores, hoje, no dia do meu aniversário e ofereço cada pétala para vocês, meus amigos, que me acompanham ao longo desses anos.


Nada engordativo esse ano. Nada de bolos, refrigerantes, doces e salgadinhos.

Esse ano, quero comemorar com vocês a alegria de ter reencontrado minhas amigas de juventude e o prazer do trabalho bem elaborado. Quero comemorar a paz familiar, a saude de todos e o prazer de ter bichos meigos e presentes em todos os momentos. Esse ano estou comemorando o meu crescimento pessoal consistente no amadurecimento e na sabedoria que só o tempo e a vivência nos traz.
Bjs. Elza
quinta-feira, fevereiro 17, 2011

PostHeaderIcon Aviso Para Quem Visitar A Minha Casa

Esse é o blog do Beagle, o que vale dizer que tenho apreço e respeito por cães. Mantenho meu beagle, Baltazar em casa e a gatinha Thelma Louise. As fotos de ambos estão aí do lado.

Recebi esse e.mail e adorei, especialmente, porque tenho alguns parentes que não gostam de animais e tem "medo" de cachorro.

Resolvi divulgar o que penso usando dessas magnificas palavras de autor desconhecido.

Bjs. Elza



1 Seja sempre bem-vindo.

02 Lembre-se de que o meu cachorro vive aqui. Você não.


03 Se você não quer pêlos de cachorro em suas roupas, fique em pé, longe do sofá.

04 Sim, o cachorro têm hábitos desagradáveis. Eu também, assim como você. E daí?!

05 Claro que eles cheiram a cachorros. Já percebeu como nós, humanos, cheiramos ao final de um dia de trabalho? Coloque-se no lugar de alguém que tem um olfato 400 vezes mais sensível que o seu e sempre o receberá com explosões de carinho no retorno ao lar.

06 É da natureza deles tentar cheirar você. Por favor, sinta-se à vontade para cheirá-los também.

07 Se existisse algum risco do cachorro mordê-lo, eu não o deixaria se aproximar de você. Porém, não posso impedi-lo de responder a agressões, as quais podem ocorrer até em pensamento, seja para com ele, seja para comigo a quem devotam fidelidade. Os cachorros percebem, tenha certeza.

08 Você já tentou beijar alguém e recebeu em troca um empurrão? Se um cachorro tentar lambê-lo é porque aprova sua presença e quer demonstrar isso carinhosamente a você; e lembre-se que cachorros não mentem nem fingem.

09 Aqui cachorro recebe os devidos cuidados veterinários, alimentação sadia e cuidados higiênicos. Sua companhia é altamente recomendada pelos médicos, e a maioria das doenças que contraímos ao longo da vida com certeza são transmitidas por outros humanos.

10 Há diversas situações nas quais cachorros são preferíveis a pessoas. Afinal de contas, sempre podemos confiar inteiramente em sua fidelidade e sinceridade.

11 Para alguns eles são simples cachorros. Para mim são filhos adotivos que andam de 4 e não falam tão claramente. Eu não tenho problema em nenhum desses pontos. E você?

12 Volte sempre que quiser, pois será bem-vindo. Até pelo cachorro. Eles são mais sensíveis que nós, bastando se aproximar para distinguir com clareza os verdadeiros amigos de pessoas falsas.


Venham sempre que quiserem porque minha porta está sempre aberta.
segunda-feira, fevereiro 14, 2011

PostHeaderIcon Pequeno post


Estou triste e decepcionada.


Vou me encolher e ficar no meu cantinho até passar essa dor.


Por que tem lágrimas que teimam em cair dos meus olhos?


Sem bj. Elza


sábado, fevereiro 12, 2011

PostHeaderIcon Cisne Negro














Noutro dia fui ao cinema e assisti Cisne Negro.
Como não sou conhecedora de balé e nem de produção de espetáculo de dança, tratei de ler críticas e explicações antes de entrar na sala de projeção e foi a melhor coisa que me aconteceu.

Assisti algo entendendo a tensão.


O filme tras, de início, um enorme engano, mas, sem ele, não existiria: uma bailarina insegura e travada jamais seria escolhida para estrelar um balé tão importante.

Outra coisa: quem faz o cisne branco não faz o negro. A preparação emocional e física de cada um é diferente e incompatível.

Claro que a partir desses enganos é que a trama teve seu peso e por conta deles as indicações ao Oscar.
O filme é denso e sofrido, mas belo. Muito belo. Vale o imgresso.

BJ. Elza
sexta-feira, fevereiro 11, 2011

PostHeaderIcon Bolinha/ Bolota

Pois é, depois de quase 2 meses em busca de alguém que retirasse aquela bolinha que já se transformara numa bolota do meu indicador da mão direita, encontrei um médico idoso, de fala mansa, tranquilo e objetivo. Ninguém o indicou para mim. Entrei no site do plano de saúde e escolhi o que estava mais próximo de minha residência e lá fui.

Um casarão enorme e muito bem cuidado, secretária afável e gentil e, ele, como descrevi acima.

Olhou aquele bolota, fez a solicitação de senha para o procedimento cirurgico e me disse que faria no próprio consultório e ficou espantado quando eu mostrei o papel da internação e alta de hospital para o mesmo serviço que nem foi realizado.

De posse da autorização, liguei para o consultório na 2ª feira e ontem, pela manhã, a bolota foi retirada, com anestesico local e 3 micro pontinhos.

Tratava-se de um quisto sebácio do tamanho de meio grão de feijão que estava impedindo os movimentos do dedo e doia a cada encostada nele.

Almocei com minha amiga Lizete e recebi muito colinho dela. Dormi no sofá por mais de hora enquanto ela fazia RPG. Senti-me protegida. Meu sentimento é o mesmo de quando tomei iodo radioativo e fui para a casa da minha Mãe ficar doente... de cama...

Meu dedo está inchado e doi um pouquinho, mas nada assustador.

Marido chega de viagem daqui a pouco.

Preciso trabalhar e colocar uma papelada em ordem.

Bjs. Elza
domingo, fevereiro 06, 2011

PostHeaderIcon Marido!!!!!!!

- Beeeeemmm, quero sair para tomar lanche. Onde nós vamos?
- Nem imagino, marido. Quer comer uma pizza?
- Não, pizza não. Pode ser uma salada.
- Complicou. Tem aquele local ali na esquina que tem de tudo um pouco, desde saladas, pizzas, sanduiches, pratos mais elaborados...
- Não gosto de lá.
- Então não sei.
- Vamos andando. Passamos na padaria e encomendo o sanduiche a metro e de lá nós vemos.

E assim, saímos caminhando sob forte calor, embora a noite já tivesse se instalado. Encomendamos o sanduiche que ele queria e fomos ao tal lugar que ele não aprecia.

- Quero um sanduiche e um suco de laranja com mamão sem açucar e gelo a parte, disse ele.
- Quero sanduiche no pão sírio e suco de laranja com acerola, sem açucar e gelo separado.

O sanduiche dele chegou e foi devorado.

- Os sucos e o sanduiche dela não virão? Pode suspender os pedidos. Pago o que consumi e vamos embora, disse meu marido ao Gerente, após muita espera. Assim que falou chegou uma menina com meu sanduiche e eu o devorei.

Com muito custo consegui tomar suco de laranja sem acerola e ele, chá de latinha!!!

Comi um docinho mediano.

Valor da conta R$ 46,00.

- Beeemmmm, você viu aquele casal ao nosso lado que pediu uma pizza de 4 pedaços? Isso que nós deveríamos ter feito.

Pena que eu já tinha comido meu doce, senão ele o receberia na testa!

Bjs. Elza
quarta-feira, fevereiro 02, 2011

PostHeaderIcon Intuição


Toda vez que não sigo minha intuição eu me machuco.


No ano passado fizemos a renião do amigo secreto e um besouro me disse que seria a última do grupo.


Esse besouro foi claro quando me disse que não deveríamos nos reunir de novo. Fiquei triste, pois, nunca me sentira tão bem como nesse ano em que pude estar com pessoas que conheci na juventude e com quem tenho afinidades. Fiquei passada, já que a alegria era constante e todas, aparentemente, se gostam.


Teimei e reuni as que puderam comparecer num happy hour que tornou-se uma noite de desapontamentos e frustrações.


Uma pena, o grupo que nem estava coeso, sofreu o impacto negativo de uma estrela decadente. A animação que se vê na foto acabou logo após ela ser batida.
Estou triste.


Bjs. Elza
segunda-feira, janeiro 17, 2011

PostHeaderIcon Aviões

Meu marido é doido por aviões. Sabe modelos, tipos, tamanhos, cores, especificações técnicas e daí para frente. Coleciona revistas de aviação e não gosta de voar. Voa por necessidade, mas não aprecia.

Veio para a empresa em que ele trabalha um Inglês que é tanto ou mais doido por aviões e os dois armaram uma viagem para ver aviões.

Jeannette e eu não ficamos nada entusiasmadas, mas, fomos até São Carlos para visitarmos o MUSEU DA TAM Esse site é pura enganação. Nada fala sobre o museu, mas é o que está no folder que não consegui digitalizar para colocar no post.

O museu está em terras que já foram de meu bisavô no tempo do café; depois de um senhor que montou uma fábrica de geladeiras, outra de tratores e depois, de carros e faliu. Hoje, tem o museu da TAM e ainda, as oficinas para manutenção das aeronaves. O AEROLULA estava lá. Nessas terras existem 2 pistas de pouso.

São dois galpões enormes que abrigam, de inicio o guichê de entrada como se fosse o check in do aeroporto. Moças delicadíssimas no atendimento. Pendurado no teto, sobre nossas cabeças um belo avião e, ao fundo, o café. Um dos locais para se tomar café tem a forma da esteira onde são retiradas as bagagens. Os vidros são enfeitados com motivos de aviação. As luminárias parecem asas abertas.

No outro galpão tem um tunel do tempo. Passamos pelas invenções e protótipos maravilhosos, explicados e muito bem iluminados. Chegamos até Santos Dumont e assistimos filmes e vemos fotos e nos orgulhamos de sermos brasileiros.

A ultima sala nos embarca para a grande aventura, pois, quando a apresentação acaba e a porta é aberta, a emoção de instala: do alto nós podemos ver aviões e mais aviões restaurados, lindos, brilhantes e magestosos. Alguns pendurados no teto, só para nos lembrar para que eles servem, de fato!

A coleção começa com peças de 1910 e vem até nossos dias. Tem até um Panair lindo e imponente no salão. Vários Cessnas, Um Bufalo, DC3 e daí para frente. O Jahu está lá, na sua magnifica feiura. Aeronavas que dobram as asas para melhor se acomodarem nos porta-aviões também estão expostos. Muita coisa que foi da FAB e um, da FEB com direito a medalhas e fotos explicativas. Um caça está lá para nos contar que recebeu o ídolo nacional Ayrton Senna. O modelo que serviu para a primeira formação da nossa Esquadrilha da Fumaça está exposto. Tem mais coisas, muito mais ...

O espaço para crianças está lá, assim como o simulador de vôo.

Eu que não sou chegada em tecnologia e que não conheço essas máquinas voadoras fiquei entusiasmada a vi absolutamente todos os modelos expostos. Gostei. Gostei muito!

Senti falta de ar condicionado. O galpão enorme é muito quente. Muito, muito e muito quente. Meu marido sentiu-se mal e a Jeannette precisou sentar-se e descansou por mais de meia hora para tornar a caminhar.

Entrei na loja para comprar uma camiseta. Não gostei. Para um museu com tanta criatividade e tanta beleza, exibir camisetas com estampas no peito como se vê às centenas por aí, me decepcionou. Atém disso achei o preço salgado. Além de camisetas, pode ser adquirido pneu usado, jaquetas, bonés, aeromodelismo, mas não vi nenhum quebra cabeças. Senti a loja fraca e a atendente desinteressada. Ar condicionado impecavel.

Para quem tem um mínimo de interesse por aeromaves vale a pena, pois, é o maior museu particular, mantido por uma empresa aérea, do mundo.

Como chegar: saindo de São Paulo pegar a Rodovia Anhanguera ou Bandeirantes. Chegando em São Carlos, permanecer na Rodovia Washingtom Luis até a saída 235-B. Acessar a Rodovia SP-318 e percorre-la por 14 km. Entrar no KM 249,5. Telefone para contato (16) 3306-2020.

Elza
quinta-feira, janeiro 13, 2011

PostHeaderIcon Bolinha/bolota

Faz uns 4 meses que apareceu uma bolinha na articulação do dedo indicador da mão direita. A bolinha cresceu e virou uma bolota vermelha e que me incomoda. Cada vez que preciso colocar a mão dentro da bolsa tenho dor e medo de ferir a bolota; não posso bater numa porta e depois de muito teclar tenho dor.

Resolvi falar com emu dermato, pois, de inicio, pensei que fosse uma verruga. Como não é verruga, ele me mandou para o cirurgião.

Lá fui eu conversar com o plástico. Simpático e gentil, queria retirar a bolinha no consultório. Concordei e quando marcávamos o dia eu contei da minha alergia por xilocaína. Já tive choque por uso desse anestésico. O moço, na mesma hora, desistiu de mim, pois, só trabalha com esse produto.

Voltei ao dermato e ele me indicou outro plástico.

Nesse meio de tempo a bolinha já virara uma bolota e continua crescendo.

O segundo plástico foi objetivo: já que tenho alergia, vamos operar em hospital com todo o aparato do mundo para não termos surpresas. Marcou dia, hora e hospital e assim, hoje cedo, às 6:30h, em jejum, apresentei-me para internação.

Depois de todo o procedimento e de ganhar o kit higiene e 2 controles remotos, o mensageiro me levou ao apartamento.

Não era um apartamento e sim, a cela de alguma monja, mas, considerando-se que eu ficaria ali por umas 2 ou 3 horas dormitando, topei a parada.

Enfermeira entra para me dar instruções e o telefone toca ao mesmo tempo. Era o médico, morrendo de constrangimento, a me dizer que eu teria que receber anestesia geral porque o hospital não providenciara outra substância para anestesiar meu indicador para retirada da bolota.

- Vamos adiar. Anestesia geral? Por causa de uma micro cirurgia? Não tem cabimento!!!

- Mudamos de hospital na proxima vez, pode ser? Perguntou-se ele que recebeu o mais sincero sim que poderia ouvir naquela hora.

Recebi alta em poucos minutos e voltei para casa, com minha bolota.

É o fim do mundo!

BJs. Elza
sábado, janeiro 08, 2011

PostHeaderIcon Será o fim da novela?

Baltazar foi operado.

Finalmente deixamos que os veterinários retirassem aquela pelota que apareceu na parte interna da coxa dele e que inflamou e infeccionou na véspera de Natal.

Ainda não temos o resultado do exame laboratrial, mas até 3ª feira saberemos se é maligno. Creio que não. Ela firme, claro e sem sangue, mas bem grande.

Ele está se recuperando bem. Levou 7 pontos mas está bem. Pede para sair e sobe no sofé. Todos os pontos estão firmes fortes.

Como esse cachorro é cheio de surpresas, no dia da cirurgia ele apareceu com umas feridas no focinho e com o procedimento elas pioraram e agora, estou mantendo o coitado com o colar de proteção para que ele não coce essas feridas, já que, ele não lambe os pontos.

Vamos em frente. Ele está quase bom e ficará ótimo.

Bjs. Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti