domingo, setembro 28, 2014

PostHeaderIcon Conversa

- Bem, não estou entendendo porque a Regina me liga de 2 a 3 vezes por dia, aqui no hospital para saber como estou e saber se você está aqui. Ela já está me tirando do sério.

Meu marido me disse isso várias vezes nesses dias de hospitalização que já vai para uma semana.

- Quer saber o que houve? Noutro dia, ela ligou em casa e começou a fazer mil perguntas para a Maria. Maria não soube responde-las.

- Você falou com ela?

- Falei. Disse o mínimo, mas expliquei que você estava com a saúde delicada e ficaria vários dias no hospital. Fui fria, mas educada. Não tenho nada contra ela, mas não me conformo com o tratamento que vc recebe da família.

- E ela? perguntou meu marido.

- Comentou que encontrou sua sobrinha no mercado e contou para ela que vc estava no hospital. Perguntou se alguém da casa de sua irmã ligara aqui.

- Meu bem, me desculpe, mas ... na hora saiu e não deu tempo de morder a língua... Explodi na cara dela: se nem o filho e nem a nora ligam para obter notícias, vc acha que da irmã dele alguém se interessaria?

- Não julgue, disse-me ela.

- Não estou julgando ninguém. Não tenho essa pretensão.

- Entendi, respondeu meu marido. Essa Regina é terrível! Ela blinda a filha dela e assim, minha nora continua a egoísta de sempre. Arruma desculpas para meu filho não me ligar e nem me procurar... Ela quer o neto só para ela. Nas poucas vezes que consegui sair sozinho com ele, as recomendações que recebi pareciam uma bíblia...

- Pois então, ela liga e passa a noticia para os demais. O neto ligou   duas vezes e seu filho também tem procurado por vc, não é?

- Verdade eles tem me telefonado, mas, ela está com culpa no cartório! disse meu marido.

- Também acho, respondi. No dia em que conversei com ela, o seu neto ligou e seu filho, também, e de São Luiz do Maranhão... coincidência?

- É, mas minha nora não me ligou nenhuma vez...

- Pudera! Ela não foi visitar a sogra dela quando ficou doente. Disse que não tinha obrigação de cuidar da mãe do marido dela. Por que se interessaria pelo Pai do marido dela? Ela nem fala com o próprio pai e não sabe o que é família!

E assim, continuo sozinha nessa busca por saúde. Eu fico dividida entre o hospital, cuido dos nossos bichos e tento trabalhar na minha profissão.

Minha amiga Arlete andou de ambulância com ele, de novo. Eu? Atrás, com o carro, para não precisar dar a volta em São Paulo de taxi, em plena madrugada... Cadê o filho, a nora, ou a sogra chamada Regina para me ajudar?

Ele está muito melhor. Ganhou qualidade de vida e deverá estar em casa na 3ª ou na 4ª feira.

Fui.



sábado, setembro 27, 2014

PostHeaderIcon Tristeza

Estou muito triste com aquela história de ontem. Quantas vezes eu paguei mico sem saber? Quantas vezes eu aborreci aquelas pessoas sem saber, pelo simples fato de estar na companhia deles? Quantas vezes fui à casa deles e meu marido sabendo daquela história de pulseira? Estou prá lá de muito chateada. Vontade de dizer o que passa na minha cabeça eu tenho, mas não o farei. Para quem não entende, não adianta explicar.

Elza
sexta-feira, setembro 26, 2014

PostHeaderIcon Desabafo

Ainda sou a ruim nessa história... Nada como ser egoísta e só olhar para seu próprio umbigo, bolas!

Faz muitos anos recebi de presente da nora de meu marido uma pulseira vagabunda ao extremo, arrebentada, numa caixa de papelão de quinta categoria, no Natal, na casa dela. Detalhe, os presentes trocados naquela noite eram objetos caros, de boas marcas e interessantes.

Claro que esse magnífico presente demonstrou todo o carinho, consideração e apreço que ela tem por mim. Mostrou o respeito e a amizade, também.

Senti-me a última das criaturas. Rejeição e pouco caso doem! Ele, na maior ingenuidade veio ver meu presente e eu não queria mostrar para não aborrece-lo, mas, diante da insistência, noutro cômodo da casa, mostrei e ele ficou aborrecido, por entender que eu não merecia aquele descaso.

No momento que entramos no carro para virmos para casa eu joguei a ofensa no meio fio.

Somente hoje eu soube que o porteiro me viu jogando a coisa fora, a recolheu e entregou para a "norinha".

Ela ficou magoada!

Sempre me tratou com frieza e pouco caso. Bastava eu expressar uma opinião e ela vinha com pedras na mão contra mim. Evitei muitas vezes de ir até a casa do filho do meu marido por causa dela.

Tão egoísta é a mocinha que a verdadeira sogra ficou doente e ela não se dignou a visitar a mulher no hospital! Nunca ligou aqui para saber do estado de saúde de meu marido e sogro dela...

Hoje eu ouvi insinuação de meu marido que eu teria destratado a "norinha" ao jogar fora o "presente"... Estou triste e magoada. Ela pode me ofender e me destratar dentro da casa dela e eu ainda tenho que sorrir e achar bonito?

Engraçado como funciona a cabeça de gente pequena... minha Mãe faleceu e não ouvi nenhuma palavra de conforto e ninguém foi à missa; meu irmão morreu e o silêncio foi o mesmo; meu marido ficou hospitalizado por mais de um mês e houve apenas uma visita formal, na véspera de ele ser liberado para casa...

E eu é que sou a ruim!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Veremos.

Elza
domingo, setembro 21, 2014

PostHeaderIcon Enfrentamento

Só tem um jeito de enfrentar as coisas: de frente.
Além de todos os problemas, não conseguimos colocar o permicat, ainda.
O médico da clínica telefonou e disse que ele estava com o potássio muito alterado e que poderia ter uma parada cardio-respiratória a qualquer momento e me mandou leva-lo ao PS.
Obedeci contra a vontade do paciente. Lá foi feita medição e o potássio estava dentro da normalidade.
Permicat não foi colocado e ele está com água nos pulmões.
Ficamos em casa o dia inteirinho, tamanho o cansaço. Chegamos do PS, ontem às 4 da madrugada!
Veremos o que acontece amanhã.
Tudo passa.
Fui
quarta-feira, setembro 17, 2014

PostHeaderIcon Está chegando o momento




Hoje fui dura e seca. Nada de bilu-bilu; nada de cafune, nada de compreensão e carinho.
- Levante rapidinho! Temos hora marcada e não quero chegar atrasada. Está com medo e assustado? Eu também.
Depois desse desabafo, ele demorou uns cinco minutos para se locomover. Veio tomar café da manhã e não conseguiu. Está inapetente. Só quer tomar água, muita água e não pode.
Tive que ajuda-lo a se vestir. A barriga de ascite não lhe permite movimentos tal o volume que alcançou. Perde o equilíbrio e o fôlego quando se movimenta muito depressa.
Conseguimos chegar ao médico e foi uma competente mulher que nos atendeu. Não fez terrorismo conosco, mas disse que ele precisa começar o tratamento com urgência. Estou um pouco mais calma. O passo foi dado. Por outro lado, estou um pouco mais apreensiva. Ele deverá passar por pequena cirurgia para implante do aparelho que permite a hemodiálise. Terei umas 10 horas de hospital na 6ª feira...
Os florais estão fazendo efeito e sinto uma paz interior que há muito não se instalava por aqui.

Fui.

Elza
quinta-feira, setembro 11, 2014

PostHeaderIcon Momento








Estou cansada, assustada e com bastante medo.
Não sei lidar com doenças.
Não sei o limite dele, mas sei que só piora.
Ele sabe que está pior e me diz, todos os dias.
Minha amiga Lais disse que essa força estranha que me domina é minha, só minha e vem do meu eu. Disse-me ela que todos nós temos essa força e que ela só aparece quando convocada.
Tudo bem, sei que sou forte. Sei que só consigo chorar depois de muita tensão e sempre longe, muito longe dele.
Minhas mãos estão cheias de lesões de psoríase. Nervoso puro!!!
Tenho feito coisas por mim, é certo: tomo sol todos os dias e estou moreninha. Saio por aí, encontro minhas amigas e converso bastante e troco ideias e desabafo meu medo.
Hoje eu consegui me concentrar e realizar um trabalho. Milagre... tenho perdido muito tempo com a cabeça avoada, mas resolvi me policiar e render.
Durmo mal e pouco. Acordo diversas vezes para ver se ele está bem e o vejo sentado na beira da cama, às vezes, dormindo sentado o que me corta o coração. Ele não consegue ficar deitado. Falta-lhe o ar. Os pés pretos porque a circulação está prejudicada. Pernas inchadas e com muitas bolhas de todos os tamanhos. Morro de medo que uma delas infeccione...
Estou gorda feito uma pipa e a tendência é aumentar de peso. Até meu endócrino está conformado...
Ele me declara amor e querer bem e eu me derreto inteira. Amor construído no dia a dia, na lida e nas dificuldades é o nosso.
Florais estão me ajudando.
Elza

Thelma Louise

Thelma Louise
Minha gatinha querida

Pesquisar este blog

Perfil

Elza Maria sempre em busca de respostas. Paradoxal, curiosa, inteligente, crítica, observadora, sentimental, habilidosa, amorosa, sensível, disciplinada e um montão de outras coisas. Ser humano normal, comum, mediano, mas que gosta de escrever e está no quarto blog.

Arquivo do blog

Atualizaçoes

Seguidores

Miau

Get the Maukie - the virtual cat widget and many other great free widgets at Widgetbox!

Passaram por aqui

Créditos

Template: Meiroca.com
Foto: Silvia Perutti